BRAGA

BRAGA -

49 feirantes de Braga já se inscreveram para operar no sopé do Picoto

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Os comerciantes que operam às quintas e sábados na chamada “feira da venda ambulante”, na Alameda do Estádio, em Braga, anunciaram que vão entregar uma providência cautelar para exigir que a feira volte para as imediações do Mercado Municipal, mas 40 deles já se inscreveram para trabalhar no sopé do Picoto.

Contactada pelo OVilaverdense, a vereadora Olga Pereira adiantou que, atendendo à adesão já verificada, espera que a medida cautelar não entre no Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga: «a localização de uma dada feira é uma decisão política da Câmara que nada tem de administrativo», sublinhou.

Na segunda-feira, em reunião do Executivo camarário, o vereador socialista Artur Feio abordou o assunto, dizendo que os feirantes se recusavam a ir para o novo local, e que exigiam voltar ao sítio onde estavam antes da pandemia, as cercanias do Mercado.

PUBLICIDADE

Esta tese foi, a seguir, confirmada pelo advogado Francisco Peixoto que anunciou a intenção de meter uma providência cautelar no Tribunal Administrativo para tentar impedir a deslocação do local da feira. Disse, ainda, que os comerciantes têm uma carta que lhes foi enviada pelo presidente da Câmara, Ricardo Rio, prometendo que voltaria para a zona do Mercado.

A este propósito, a vereadora adianta que o Município contestará a ação e reafirma que a mudança de local é uma atribuição política do Executivo.

«Havia reclamações por causa da feira junto ao Estádio, por falta de acessos e de casas de banho, mas no sopé do Picoto, o local foi requalificado e tem estas condições, além de bons transportes públicos», acentuou, sublinhando que a Alameda vai ser requalificada pelo Sporting Clube de Braga.

A posição da Autarquia é apoiada pela direção do Lar Conde Agrolongo, cujo presidente Cerqueira Alves diz estar «solidário» com a decisão: «É uma questão humanitária. Temos aqui cerca de 200 utentes que eram incomodados com a feira a decorrer à nossa porta e o próprio Lar via os acessos das traseiras cortados, e saliente-se que por ali entram muitos idosos com dificuldades de locomoção, bem como ambulâncias, medicamentos e bens alimentares», adiantou.

Acrescentou, também, que «quando as feiras se realizavam na rua que encosta ao Lar, o clima era mau e até agressões havia».

Até 2020, a feira realizou-se nas imediações do Mercado Municipal, mas, com o aparecimento da pandemia de covid-19, foi transferida «provisoriamente» para a alameda do estádio municipal, por razões sanitárias.

Agora, a Câmara comunicou aos feirantes a decisão de mudar de local, a partir de 5 de fevereiro.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

Acesso exclusivo por
um preço único

Assine por apenas
2€ / mês
* Acesso a notícias premium e jornal digital por apenas 24€ / ano.