SAÚDE

SAÚDE -

ACeS Gerês-Cabreira realizou rastreios de saúde infantil para detectar ambliopia

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

O Agrupamentos de Centros de Saúde (ACeS) Cávado II Gerês-Cabreira efectuou, durante este ano, o Rastreio de Saúde Visual Infantil tendo como objectivo fundamental detectar a ambliopia em crianças que perfazem dois e quatro anos de idade, em cada semestre do ano de rastreio.

Este rastreio tem como objectivo identificar crianças com alterações oftalmológicas capazes de provocar ambliopia, já foram rastreadas 100 mil crianças a nível nacional desde 2018, tendo sido encaminhadas seis mil para tratamento.

PUBLICIDADE

No grupo alvo dos dois anos de idade, no primeiro semestre de 2021, num total de 368 crianças convidadas, 330 foram rastreadas e 328 obtiveram resultados de rastreio, sete crianças não realizaram o rastreio e 31 não foram rastreadas.

Em termos percentuais, a execução do rastreio apresentou os seguintes dados: 10.37% positivo para ambliopia e 89.33% negativo para ambliopia.

No segundo semestre, num total de 432 crianças convidadas, 369 foram rastreadas e 364 obtiveram resultados de rastreio, 10 crianças não realizaram o rastreio e 53 não foram rastreadas.

A execução do rastreio apresentou os seguintes dados: positivo para ambliopia – 7.97% e negativo para ambliopia – 91.48%

GRUPO ALVO DOS 4 ANOS

Quanto ao grupo alvo dos quatro anos, no primeiro semestre, num total de 356 crianças convidadas, 299 foram rastreadas e 296 obtiveram resultados de rastreio, 16 crianças não realizaram o rastreio e 41 não foram rastreadas.

Em termos percentuais, a execução do rastreio deu 5.07% positivo para ambliopia e 94.93% negativo para ambliopia.

No segundo semestre, num total de 386 crianças convidadas, 335 foram rastreadas e 334 obtiveram resultados de rastreio, 16 crianças não realizaram o rastreio e 35 não foram rastreadas.

A execução do rastreio apresentou os seguintes dados: 5.99% positivo para ambliopia e 94.01% negativo para ambliopia.

Segundo o ACeS, «algumas das crianças não realizaram o rastreio por já se encontravam a ser acompanhadas pelo hospital de referência, não justificando a sua inclusão no mesmo».

«Queremos parabenizar/agradecer aos profissionais enfermeiros desta equipa, pelo excelente resultado obtido, que resultou dos seus esforços, empenho e perseverança na realização do rastreio, ultrapassando constrangimentos ocorridos nesta fase de pandemia», frisa.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

Acesso exclusivo por
um preço único

Assine por apenas
2€ / mês
* Acesso a notícias premium e jornal digital por apenas 24€ / ano.