REGIÃO –

REGIÃO – -

Actividade empresarial de Viana do Castelo apresenta volume de negócios de 2,8 mil milhões de euros

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

A actividade empresarial no concelho de Viana do Castelo representa actualmente um volume de negócios de 2,8 mil milhões de euros (INE, 2017), correspondendo a 48% do total do Alto Minho, revela o estudo do Instituto Nacional de Estatística referente a 2017. No período entre 2013 e 2017, foi registado um crescimento de 13%.

Estes números foram apresentados esta segunda-feira em conferência de imprensa por José Maria Costa, presidente da Câmara Municipal e Luís Nobre, vereador do Planeamento e Desenvolvimento Económico.

PUBLICIDADE

Para este exponencial crescimento, os clusters de maior relevância, assegurando 80% do valor total, correspondem a papel, construção/imobiliário, eólico, comércio, componentes automóvel, metalomecânica/metalúrgica e bens de equipamento, comércio e reparação automóvel e Economia do mar.

Entre 2009 e 2018, os clusters que registaram um maior crescimento foram o de componentes automóvel (2,6 vezes), papel (2,2x) e economia do mar (2,3x após 2013).

O investimento empresarial global no período 2009-2018 foi superior a 1.000 milhões de euros, com “forte intensidade” nos dois últimos anos (320 M€), tendo mais de 60% do investimento sido registado nos clusters papel, componentes automóvel, construção/imobiliário, eólico, metalomecânica/metalúrgica e bens de equipamento e economia do mar.

EMPREGO

Em 2017, foram registados 31 mil postos de trabalho nos estabelecimentos de Viana do Castelo, correspondendo a 40% do emprego do Alto Minho.

Este valor representa um crescimento de 18% em comparação com pico mínimo de 2013 (cerca de +4.700 postos de trabalho). Os clusters do componentes automóvel, metalomecânica / metalúrgica e bens de equipamento, eólico, turismo e tecnologias de informação foram os que mais contribuíram para este acréscimo no emprego.

EXPORTAÇÕES

Se, em 2009, Viana do Castelo exportava bens no valor de 315 milhões de euros, o valor praticamente triplicou para 800 milhões de euros em 2018, correspondendo a 42% do total do Alto Minho.

A capital do distrito é, assim, o 16.º concelho do país no ranking de exportações, registando uma subida de 12 posições desde 2009.

Do grupo de 20 concelhos mais exportadores, é o 2.º concelho com maior crescimento de exportações desde 2009 (INE, 2018), ocupando ainda a 5.ª posição no ranking de exportações de capitais de distrito (INE, 2018).

Para as exportações, os clusters de maior relevância (63% total) são papel, eólico, componentes automóvel, sendo que o maior crescimento registado (vs 2009) é nos clusters construção/imobiliário (3,7x), componentes automóvel (2,6x), papel (2,4x) e economia do mar (4x após 2013).

Actualmente, os clusters de maior intensidade exportadora são os componentes automóvel (98%), eólico (61%), têxtil e calçado (61%) e papel (53%).

Viana do Castelo assume-se como a 3.ª capital de distrito com maior crescimento na produtividade do trabalho (VAB/RH – milhares de euros), registando uma taxa de crescimento de 39%. Assim, a capital do Alto Minho passou de 17,9, em 2009, para praticamente 24,9 (milhares de euros), em 2017.

A informação resulta de um estudo levado a cabo pela CDE Consultores, tendo por base dados estatísticos publicados.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

Acesso exclusivo por
um preço único

Assine por apenas
2€ / mês
* Acesso a notícias premium e jornal digital por apenas 24€ / ano.