JUSTIÇA

JUSTIÇA -

Advogada de Vila Verde absolvida de burla qualificada e falsificação

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

O Tribunal de Baga absolveu uma advogada de Vila Verde que foi julgada sob a acusação de ter dado cobertura a uma falsificação de documento – um Bilhete de Identidade.

O juiz concluiu que não se provou que a jurista soubesse que um empresário de Vila Verde comprou um terreno a um casal em Turiz, por 15 mil euros, e não só não o pagou como falsificou a assinatura do vendedor.

PUBLICIDADE

Carlos Manuel Alves, 39 anos, de Atães, mas com residência em Barbudo, e a advogada Maria da Glória Ferreira, de 50 anos, de Vila Verde e a empresa GuanYar, também do concelho, tinham sido acusados pelo Ministério Público dos crimes de burla qualificada e falsificação de documento.

O empresário não foi julgado em conjunto com a advogada, dado que se encontra em parte incerta.

Desenvolvimentos na edição impressa de Junho

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

Acesso exclusivo por
um preço único

Assine por apenas
2€ / mês
* Acesso a notícias premium e jornal digital por apenas 24€ / ano.