REGIÃO

REGIÃO -

Alto Minho com capacidade para acolher 314 refugiados da Ucrânia

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Os vários concelhos do Alto Minho têm neste momento capacidade para acolher 314 pessoas vindas da Ucrânia, em modalidade de alojamento temporária, em espaços quer de gestão municipal, quer de iniciativa privada.

O anúncio foi feito pela Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho, que realizou o levantamento da capacidade existente, que poderá ainda aumentar em função da necessidade e da adesão de mais privados.

PUBLICIDADE

A CIM adianta que, na segunda-feira, foi realizada uma reunião com entidades sub-regionais do Alto Minho (ULSAM, Delegação do SEF de Viana do Castelo, Centro Distrital de Segurança Social e Delegação de Viana do Castelo da Cruz Vermelha Portuguesa) «para uma resposta concertada entre todos ao nível do acolhimento, integração, alojamento e cuidados de saúde a cidadãos ucranianos».

«Dar nota ainda que a unidade de missão intermunicipal cujo objectivo passa pela implementação e articulação de iniciativas aprovadas no âmbito do plano de acção integrado à escala Intermunicipal para provisão de ajuda humanitária ao povo ucraniano, está já a trabalhar num conjunto de propostas de base local e articuladas à escala sub-regional no sentido de promover actividades de gestão e acompanhamento de cidadãos ucranianos encaminhados para o Alto Minho», acrescenta.

RECOLHA DE BENS

Desde esta quarta-feira que está em curso a campanha intermunicipal “Alto Minho Solidário – Missão Ucrânia”, com pontos de recolha de bens essenciais a favor do povo ucraniano nos 10 municípios do Alto Minho.

À população, associações e instituições do Alto Minho são pedidos produtos alimentares, com prioridade para cereais (trigo, milho, trigo sarraceno, aveia), alimentos enlatados (peixe e carne), salsichas de armazenamento longo, queijos duros, embalagens de biscoitos, nozes e frutos secos, conforme indicações dadas pelo Consulado da Ucrânia, no Porto.

São também prioritários artigos de saúde, como compressas estéreis em embalagens individuais (com componente elástico de compressão de primeiros socorros), ligaduras e gaze (estéril), ligadura oclusiva torácica (em gel), fita adesiva (não-tecido), luvas de nitrilo (não-estéreis), cobertor térmico (em polietileno), meios mecânicos para parar hemorragias (garrotes, pomadas hemostáticas), tubos nasofaríngeos (tubos de guedel com lubrificante) e tesouras para cortar roupa e sapatos.

Os donativos podem ser entregues nos seguintes locais:

  • Centro Paroquial de Arcos de Valdevez/ Centro Escutista de Arcos de Valdevez, ou em alternativa, no quartel dos Bombeiros Voluntários de Arcos de Valdevez;
  • na Loja Social da Cruz Vermelha de Melgaço;
  • no Mercado Municipal de Monção – Banco de Recursos, no edifício da Junta de Freguesia em Vilarelho, em Caminha, ou no edifício da Junta de Freguesia de Vila Praia de Âncora;
  • nos Bombeiros Voluntários de Paredes de Coura;
  • no Quartel dos Bombeiros Voluntários de Ponte de Lima;
  • na Casa da Cultura de Ponte da Barca;
  • no Quartel dos Bombeiros Voluntários de Valença;
  • no Antigo Pavilhão da AIMinho, em Viana do Castelo
  • e na Junta de Freguesia de Reboreda, em Vila Nova de Cerveira.

A lista de todos bens, os pontos de recolha e respectivos horários de funcionamento, estão disponíveis no site da CIM Alto Minho em www.cim-altominho.pt.

Esta campanha de solidariedade que está a ser dinamizada pela Comunidade Intermunicipal do Alto Minho (CIM Alto Minho), em conjunto com os 10 municípios do Alto Minho, o CDOS (Comando Distrital de Operações e Socorro) de Viana do Castelo e o Banco Alimentar de Viana do Castelo, compreende igualmente outras acções para provisão de ajuda humanitária às vítimas do conflito.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

Acesso exclusivo por
um preço único

Assine por apenas
2€ / mês
* Acesso a notícias premium e jornal digital por apenas 24€ / ano.