REGIÃO

REGIÃO -

Alunas do IPVC vencem desafio da Gulbenkian com estudo sobre bem-estar emocional nos estudantes

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Rita Rodrigues, Inês Malheiro e Ana Teresa Queirós, alunas da licenciatura de Enfermagem da Escola Superior de Saúde (ESS) do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC), venceram o Desafio 25<25 das Academias do Conhecimento Gulbenkian com o projecto EmocionalMente. O estudo revela que 31,6% da instituição recorrem a consultas de Psicologia ou Psiquiatria.

 “Foi uma experiência extraordinária e somos muito gratas pelo apoio do IPVC, da ESS e da Fundação Calouste Gulbenkian”, confidenciou Rita Rodrigues. O projecto, realizado em parceria com a Ashoka, vai ser implementado no próximo ano letivo na ESS, mas o objectivo das estudantes é alargar o EmocionalMente a todas as escolas do IPVC, até porque “faz sentido” que seja transversal a todos os cursos.

EmocionalMente nasce após a análise de um estudo que revela que 31,6% dos estudantes da ESS-IPVC recorrem a consultas de Psicologia ou Psiquiatria. 

PUBLICIDADE

“O nosso curso é muito exigente a vários níveis. As experiências curriculares que temos durante o estágio e o ter que cuidar do outro em situações críticas e de vulnerabilidade são desafiantes. A exigência curricular e carga horária intensa tão características do curso de Enfermagem e a transição para o ensino superior são também factores dificultadores do bem-estar do estudante, por isso, estes factores levam a um défice emocional que afecta directamente o estudante e tem forte potencial que se reflecte na prática de cuidar”, começou por evidenciar Rita Rodrigues, acreditando que está nas mãos de cada um “mudar esta realidade”.

Inspiradas no livro de Paulo Moreira ‘Inteligência Emocional: uma abordagem prática’, as alunas começaram a colocar em prática os cinco eixos da inteligência emocional, percebendo que esses cinco eixos ajudam a “equilibrar” as emoções. 

Entretanto, como já integram o INPEC+ surgiu a “oportunidade” de desenvolver um projecto para a Gulbenkian e as jovens alunas escolheram a temática ‘Saúde e Bem-estar’. Daqui à aposta na inteligência emocional foi um pequeno passo. “Foi algo que abraçamos imediatamente. Se faz sentido para nós, porque nos ajudou enquanto pessoas e também a nível profissional, então fazia sentido que os nossos colegas tivessem também essa oportunidade”, justificou Rita Rodrigues, sublinhando aqui a importância das sessões práticas de Inteligência emocional com a aposta da expressão da arte e movimento, bem como do autoconhecimento e gestão eficaz de emoções.

AUTODESCOBERTA

Neste projecto, a “acção transformadora” é que os estudantes partem à descoberta de si próprios e percebam que são parte da solução. “As soluções que já existem assentam fundamentalmente na sensibilização da comunidade académica para a importância da saúde mental e na procura de ajuda profissional em caso de necessidade. O EmocionalMente vai muito além disso, porque parte da solução está nos estudantes ao descobrirem que eles próprios fazem parte da solução. É um processo de autodescoberta num processo participado e de (co) construção, garantindo assim a sua sustentabilidade”, defendeu.

EmocionalMente surgiu assim da “necessidade de equilibrar o emocional e a mente”. Ao longo do ano lectivo que terminou, o projecto passou por várias fases no âmbito da candidatura. “Aprendemos imenso, foi uma experiência gratificante. Tivemos oportunidade de conhecer muitas pessoas, que nos ajudaram a crescer e que nos colocaram à prova”, referiu a aluna, que terminou agora o 4.º ano da licenciatura de Enfermagem.

O EmocionalMente versão 1.0 permite aos estudantes desenvolverem autoconhecimento e gestão eficaz de emoções. Aqui surgem as sessões práticas, que visam desenvolver 5 dimensões: a autoconsciência, que é a capacidade de reconhecer as emoções e compreender as suas origens, o autocontrolo, que é a capacidade de gerir as emoções e adaptar a cada situação, a automotivação, que é a capacidade de utilizar as emoções de forma a motivar e atingir os objectivos, o reconhecer as emoções nos outros para compreender como se estão a sentir e os relacionamentos pessoais para gerir as emoções dos outros para assim melhorar as relações interpessoais.

 

FOTO: “O Caminhense”

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

Acesso exclusivo por
um preço único

Assine por apenas
2€ / mês
* Acesso a notícias premium e jornal digital por apenas 24€ / ano.