REGIÃO

REGIÃO -

Assembleia Intermunicipal da CIM Alto Minho aprova contas de 2021

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

A Assembleia Intermunicipal da Comunidade Intermunicipal do Alto Minho (CIM Alto Minho) aprovou, por unanimidade, o relatório de gestão e contas relativo ao ano de 2021, anunciou esta sexta-feira a entidade.

De acordo com as contas aprovadas, CIM Alto Minho obteve um resultado líquido positivo de 192.432 euros. Para este valor contribuiu um montante global de gastos de 3 657 984 euros e um montante global de rendimentos de 3 850 416 euros.

Este documento, que faz a resenha do trabalho efectuado durante o ano de 2021, ressalta o aumento significativo na receita proveniente de fundos comunitários devido à conclusão de operações (principalmente co-financiadas por FEDER proveniente do programa INTERREG), e à aceleração da execução das principais iniciativas e projectos da CIM Alto Minho.

PUBLICIDADE

De entre as realizações mais marcantes no ano de 2021 destacam-se o ‘Pacto para o Desenvolvimento e Coesão Territorial ‘Alto Minho 2020’’, no qual está previsto um montante global de investimento na ordem nos 60 milhões de euros, e o PROVERE Minho Inovação, desenvolvido em parceria entre as CIM do Alto Minho, Cávado e Ave, as Associações de Desenvolvimento Local (ADL) e as principais instituições do sistema científico e tecnológico do Minho.

PROJECTOS

Além da consolidação da concretização dos projectos âncora desta Estratégia de Eficiência Colectiva orientada para a valorização dos recursos endógenos do Minho, foi possível consolidar o reforço em mais 6,1 milhões de euros de investimento, fazendo com que o montante global de investimento previsto atinja os de 19,5 milhões de euros para todo o território do Minho. 

Também a operacionalização da DLBC Costeira ‘Litoral Norte – Mare Ditat’, onde a CIM Alto Minho, em conjunto com os parceiros do GAC Litoral Norte, gere um montante de investimento orçado em cerca de 10 milhões de euros, orientado para a valorização costeira/ pesqueira do Litoral Norte.

Registe-se ainda a execução e conclusão de inúmeros projectos nos domínios da Cultura e Criatividade, Património Natural, Náutica e Turismo Sustentável, de que é exemplo o projecto ‘Alto Minho 4D – Viagem no Tempo’, onde foram concluídas as estações do tempo da Arte Rupestre e do Megalitismo; dos Castros; dos Mosteiros; dos Descobrimentos; dos Castelos e Fortalezas; e da Arquitectura Tradicional e do Moderno ao Contemporâneo.

Da lista consta ainda o projecto ‘De Repente Canta a Gente’, que visou a criação de uma dinâmica de produção musical e artística e de uma oferta cultural associada às tradições e expressões culturais do Alto Minho – os cantares repentistas; mas também o projecto ‘Aldeias do Alto Minho Cycling &Walking’, que permitiu a qualificação das experiências Cycling & Walking num conjunto de aldeias localizadas no Alto através da construção de 10 centros C&W e respectiva sinalização informativa e turística. De assinalar, ainda, no âmbito do Turismo Sustentável, a renovação do certificado de turismo sustentável atribuído ao território do Alto Minho a 17 de Dezembro de 2021, por um período de cinco anos.

Ao nível da Autoridade Intermunicipal de Transportes do Alto Minho e do seu Plano de Acção para a Mobilidade Urbana Sustentável, foi possível, em contexto pandémico, reforçar a operacionalização dos Programas de Apoio (PART – Programa de Apoio à Redução Tarifária e PROTRANSP – Programa de Apoio à Densificação e Reforço da Oferta de Transporte Público) para a retoma faseada de serviços.

PROTECÇÃO CIVIL E TERRITÓRIO

No âmbito da Protecção Civil e Riscos do Alto Minho, onde, além da concretização do projeto ALTO MINHO ADAPT – Plano Intermunicipal de Adaptações Climáticas do Alto Minho no qual foi produzida uma estratégia regional de mitigação e adaptação à mudança climática, foi possível progredir igualmente nos níveis de realização dos projectos Protec|Georisk: Alto Minho 2020 e Ariem 122+ – Assistência Reciproca Interegional en emergencias y riscos transfronterizos. 

Merece igualmente destaque a realização dos projectos “EGOV Alto Minho 2020” e “GEOARPAD – Património Cultural da Eurorregião Galiza Norte de Portugal: Valorização e Inovação”, o projeto “Alto Minho – School 4All”, que englobou a realização de diversas iniciativas que permitiram um envolvimento de cerca de 150 turmas, 3.260 alunos e 250 docentes dos 19 agrupamentos escolares dos 10 municípios do Alto Minho; assim como a submissão de 6 candidaturas, o apoio à dinamização do AECT do Rio Minho e o desenvolvimento de parcerias com a AREA Alto Minho.

Por fim, importa salientar ao nível da Estratégia Integrada de Desenvolvimento Territorial ‘Alto Minho 2030’, documento que se pretende que venha a constituir o referencial base dos principais projectos e acções a desenvolver no próximo período de programação, a realização de uma reunião do Conselho Estratégico para o Desenvolvimento Intermunicipal no sentido de consolidar esta abordagem e consensualizar a metodologia de trabalho para a construção partilhada e participada do Plano de Acção ‘Alto Minho 2030’.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

Acesso exclusivo por
um preço único

Assine por apenas
2€ / mês
* Acesso a notícias premium e jornal digital por apenas 24€ / ano.