REGIÃO –

REGIÃO – -

Bacia do rio Lima tem a situação mais grave do país

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Os dados da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) indicam que os valores baixos de precipitação que se têm verificado no início do ano hidrológico, que começou a 1 de Outubro, ainda não permitiram a alteração nos níveis de armazenamento das albufeiras.

A situação mais grave regista-se na bacia hidrográfica do rio Lima ao contrário da bacia do Ave, a única que acabou o mês com mais água do que tinha em Setembro.

PUBLICIDADE

De acordo com os números da APA, divulgados esta sexta-feira pela TSF, apenas uma das doze bacias hidrográficas do país acabou o mês de Outubro com mais água, aumentando de 26 para 30 barragens com menos de 40% do volume de água que conseguem armazenar.

Em 9 das 12 bacias hidrográficas o armazenamento registado a 31 de Outubro é inferior à média histórica das últimas duas décadas. A situação mais grave acontece no Sado (apenas 25,6% de água armazenada em comparação com a capacidade das albufeiras), Barlavento (30,7%), Lima (33,9%), Arade (40,3%) e Oeste (40,4%).

Em todas estas bacias a situação agravou-se em Outubro, mas esse agravamento foi maior no rio Lima: 52,5% para 33,9% em apenas um mês.

Já a bacia do Ave foi a única que acabou o mês com mais água do que tinha em Setembro.

Nas barragens de bacias como o Tejo, Douro ou Guadiana ainda há, água, bem acima dos 50% da capacidade de armazenamento.

O Monte da Rocha (9%) no Sado é a albufeira do país com menos água, seguida da Vigia (11%) e Caia (14%), ambas na bacia do Guadiana.

O rio Lima nasce em Espanha, na Serra de S. Mamede a cerca de 950 metros de altitude e desagua em Viana do Castelo no litoral Português. Tem uma extensão total de 108 Km, dos quais 67 Km em Portugal, passando por Ponte de Lima e Ponte da Barca. A sua bacia é limitada a norte pelas bacias hidrográficas dos rios Minho e Âncora, a leste pela do rio Douro e a sul pelas bacias dos rios Cávado e Neiva.

O rio Ave nasce na serra da Cabreira, concelho de Vieira do Minho a cerca de 1200 m de altitude. Percorre cerca de 85 km até desaguar no Atlântico a sul de Vila do Conde. A sua bacia hidrográfica tem uma área aproximada de 1390 km², abrangendo 15 municípios. Banha sucessivamente os concelhos de Vieira do Minho, Póvoa de Lanhoso, Guimarães, Vila Nova de Famalicão, Santo Tirso, Trofa e Vila do Conde. Os seus afluentes mais importantes são o rio Este (margem direita) e o rio Vizela (margem esquerda), destacando-se ainda os rios Pele e Pelhe.

Foto: Minho Digital

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

Acesso exclusivo por
um preço único

Assine por apenas
2€ / mês
* Acesso a notícias premium e jornal digital por apenas 24€ / ano.