DOCUMENTO ENVIADO AO MINISTRO DA SAÚDE -

DOCUMENTO ENVIADO AO MINISTRO DA SAÚDE - -

Bloquistas consideram “inaceitável” sete meses de espera por consultas de otorrino no Hospital de Braga

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

O Bloco de Esquerda (BE) considera “inaceitável” os “atrasos e adiamentos” que se registam nas consultas no serviço de otorrinolaringologia do Hospital de Braga,  pelo que questionou o Governo sobre que medidas pretende tomar para garantir o atendimento atempado aos utentes daquela unidade.

Numa pergunta dirigida ao ministério da Saúde, os deputados bloquistas Pedro Soares (eleito pelo círculo de Braga), Moisés Ferreira e Jorge Falcato partem dos números que constam do site do hospital -uma PPP  (Parceria Publico Privada) gerida pelo grupo Mello Saúde- e de denúncias dos utentes.

PUBLICIDADE

Naquele site, avança o BE, é referido que no dia 30 de Novembro do ano passado havia 3.516 pessoas a aguardar atendimento de otorrinolaringologia no Hospital de Braga, sendo o tempo de espera de 216 dias, ou seja, mais de sete meses.

O BE acrescenta que aquele “número avassalador” aumenta considerando  os “59 doentes prioritários e 225 que aguardam atribuição de prioridade”.

“No que concerne a pessoas aguardando cirurgia de otorrinolaringologia, o cenário não é mais animador: a 30 de Novembro de 2017, estavam 1462 pessoas a aguardar cirurgia, às quais acrescem 18 prioritárias e 4 doentes oncológicos, que teriam que aguardar respectivamente, 35 e 22 dias”, referem.

No documento enviado a Adalberto Campos Fernandes, os bloquistas, baseando nos números do próprio hospital, denunciam que “já em Novembro de 2017 o Hospital de Braga se encontrava em incumprimento face ao tempo máximo de resposta previsto na legislação que estabelece em 150 dias o tempo máximo de resposta para consulta”.

“Não se compreende nem se pode aceitar esta situação. O Hospital de Braga tem obrigação de prestação de cuidados aos utentes. Não é aceitável que os utentes estejam meses a guardar a marcação de consultas que são sucessivamente adiadas”, salientam os bloquistas.

FG (CP 1200)

 

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS