Em Cracóvia e Katowice, na PolóniaBraga estreia-se na Rede de Cidades Criativas da UNESCO

Em Cracóvia e Katowice, na Polónia
Braga estreia-se na Rede de Cidades Criativas da UNESCO

Ricardo Rio esteve presente no encontro anual de Cidades Criativas da UNESCO, que decorreu esta semana em Cracóvia e Katowice, na Polónia. Esta participação marcou a estreia de Braga nesta rede, depois da sua entrada no final do ano passado como cidade criativa na área de Media Arts.

“Em Braga estamos comprometidos com a criatividade em todas as políticas municipais”, declarou o presidente da Cmara de Braga. O autarca, interveio em diferentes sessões deste encontro anual, mas foi durante o fórum de autarcas que teve a oportunidade de apresentar Braga aos mais de 500 participantes de todo o mundo que estiveram na Polónia para debater, partilhar e aprender com as cerca de 180 cidades que fazem parte desta importante rede da UNESCO.

PUBLICIDADE

“Como candidata a Capital Europeia da Cultura em 2027, Braga está a desenvolver um plano integrado de Cultura para o desenvolvimento da cidade, onde as media arts ocupam um papel muito relevante, mas pretendemos também que seja um projecto transversal a todas as áreas, seja na reabilitação urbana, na mobilidade, mas também noutros sectores da intervenção municipal, como na participação, na educação ou nos diferentes projectos sociais”, referiu Rio.

O autarca abordou ainda o compromisso de Braga com as suas parceiras internacionais, como é o caso da sua participação na EUROCITIES ou na Rede Internacional de Cidades Interculturais, “onde se desenvolve muito trabalho com cidades também na área da cultura, o que está interligado com o que se faz nesta Rede de Cidades Criativas”.

Ricardo Rio acrescentou que “as relações bilaterais e multilaterais das cidades são cada vez mais relevantes na esfera internacional e são os governos locais que têm mais facilidade para promover uma relação efectiva entre as diferentes culturas, povos ou países”.

Durante uma sessão para debater o futuro da rede, o edil aproveitou para partilhar a sua experiência noutras redes internacionais, sugerindo que “houvesse mais trabalho entre as cidades das diferentes áreas da rede”.

Recorde-se que existem cidades criativas nas áreas do Artesanato, Gastronomia, Música, Literatura, Cinema, além das Media Arts. Além disso, rio propôs que fossem criados projectos colaborativos digitais onde todos pudessem partilhar as suas experiências, ideias e iniciativas.

Houve também diferentes sessões paralelas das cidades de Media Arts, de que fazem parte Austin (EUA), Telavive (Israel), Dakar (Senegal), Lyon e Enghien-les-Bains (França), York (Reino Unido), Sapporo (Japão), Guadalajara (México), Changsha (China), Gwanju (Coreia do Sul) Linz (Áustria), Toronto (Canadá) e Kosice (Eslováquia).

 

BARCELOS PRESENTE

Portugal esteve ainda representado pelas cinco cidades que fazem parte da rede, como Barcelos (Artesanato), Amarante (Música),  Idanha-a-Nova (Música) e Óbidos (Literatura).

Ricardo Rio considera que este encontro foi “uma oportunidade para as autarquias portuguesas estreitarem laços e acertarem uma colaboração mais profícua e activa entre as cidades que integram a rede de cidades criativas, tendo ficado a ideia de criar uma estrutura informal que agregue as cinco autarquias para cimentar a participação portuguesa nesta rede da UNESCO”.