FOGOS

FOGOS -

Braga reforça dispositivo municipal de vigilância e primeira intervenção de incêndios

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

A Câmara de Braga reforçou o dispositivo municipal de vigilância e primeira intervenção de incêndios florestais com mais operacionais e mais viaturas, anunciou esta quinta-feira a autarquia.

À estrutura de prevenção de incêndios florestais, o presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, junta o contributo dos cidadãos que “são os principais aliados da proteção civil”.

Na apresentação pública, realizada esta quinta-feira na Falperra, Rio destacou o “forte investimento” que a autarquia tem vindo a realizar na proteção civil, com a dotação de meios humanos e operacionais.

“Braga tem ao seu dispor o máximo de disponibilidade de recursos, de meios humanos e materiais, para dar a melhor resposta possível para garantir a segurança à população”, referiu.

Para as ações de vigilância, o dispositivo municipal conta com um total de 42 operacionais (mais dez do que em 2023) e 18 viaturas (mais quatro do que em 2023). Já para a primeira intervenção, este efetivo passa para 75 operacionais (mais dez) e 16 viaturas de combate a incêndio (mais duas), estando ainda identificados outros meios complementares de apoio ao combate, nomeadamente máquinas retroescavadoras e cisternas do município, da AGERE, das Juntas de Freguesia e outras entidades.

Este ano, o dispositivo conta ainda com mais duas Unidades Locais de Proteção Civil nas Uniões de freguesia de Lomar e Arcos e Este (S. Mamede e S. Pedro) e ainda com uma Equipa Municipal de Intervenção Florestal na Divisão de proteção Civil, todas equipadas com viatura e kit de primeira intervenção.

APELOS À POPULAÇÃO

À semelhança dos anos anteriores, foram contratados serviços de locação de máquinas e camiões para manutenção e conservação de caminhos florestais, num investimento de 65 mil euros. Foram também identificados e beneficiados pontos de água tanto para meios terrestres como aéreos.

Para além deste dispositivo, a Proteção Civil de Braga apela à população para adotar “comportamentos seguros, mantenham a vigilância na defesa da florestal e, em qualquer situação de avistamento ou suspeita de incêndios rural, contactem o 112 o mais rapidamente possível”.

A Proteção Civil apela a que não façam queimas de sobrantes, florestais ou agrícolas, optando por formas mais seguras de eliminação, nomeadamente recorrendo gratuitamente ao serviço do biotriturador do projecto “Cuidar Braga”.

O dispositivo municipal de vigilância e primeira intervenção integra meios da Divisão de proteção Civil, Direcção Municipal de Obras e Serviços Municipais, Sapadores Bombeiros, Bombeiros Voluntários, Sapadores Florestais, Polícia Municipal, Unidades Locais de proteção Civil de Pedralva, Sobreposta, Este (S. Mamede e S. Pedro) e Lomar e Arcos, PSP, Regimento de Cavalaria n.º 6 e GNR.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

PUBLICIDADE

Acesso exclusivo por
um preço único

Assine por apenas
3€ / mês

* Acesso a notícias premium e jornal digital por apenas 36€ / ano.