BRAGA

BRAGA -

Câmara de Braga investe 36.500 euros em bolsas para artistas

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

A Câmara de Braga vai subsidiar com bolsas de 500 a mil euros, 45 artistas do concelho, no quadro do projeto ACTUM – Convocatória Aberta de Projetos Artísticos 2020, um convite à criação artística e sua partilha com a comunidade. Um investimento que pode atingir os 36. 500 euros. E vai dar incentivos a uma empresa do ramo alimentar, que vai investi 9,4 milhões no concelho.

Estes assuntos foram discutidos na manhã desta segunda-feira na reunião do executivo municipal, que decorreu por vídeoconferência.

A proposta, da vereadora Lídia Dias, adianta que serão selecionados 17 artistas da área da Música e Artes Performativas que receberão 500 euros cada, num total de 8.500 euros, e outros três projetos, a mil euros, cada. No que toca às Artes Plásticas e Visuais, a bolsa chegará, inicialmente, a 25 candidatos a 500 euros, num total de 12.500 euros. No entanto, está previsto que, para esta área, o apoio municipal possa chegar aos 25 mil euros.

PUBLICIDADE

O ACTUM quer constituir-se como medida complementar de apoio aos agentes culturais do concelho. Enquadra-se nos objetivos da estratégia Braga Cultura 2030, em especial no “desenvolvimento do potencial cultural e criativo bracarense”, o que vem já inscrito nas Grandes Opções do Plano e Orçamento para 2020. Estes documentos abordam a criação do projeto Crisálida, uma bolsa de fomento da criação artística dirigida a projetos culturais locais.

Os objetivos – diz a autarca – são os de “potenciar a criação de novos conteúdos com apresentação inédita, valorizar artistas profissionais ou emergentes do território, e promover a fruição pública do resultado do processo de criação aproximando os cidadãos das práticas artísticas locais e contemporâneas, através da divulgação online dos projetos”.

A sua implementação imediata tem em conta que, nas últimas semanas várias atividades artísticas e culturais foram adiadas devido à crise sanitária.

Na reunião de vereadores, estiveram, também, em análise, entre outros assuntos, os apoios no acesso à internet aos alunos do concelho; as isenções de taxas de ocupação de espaço público no âmbito do Plano de Ação Covid-19; o regime extraordinário e temporário de esplanadas no âmbito do programa ‘Braga de Porta Aberta’; contratos interadministrativos de delegação de competências com várias freguesias do concelho, contratos de dinamização cultural e propostas de apoios financeiros a entidades.Vanibru, empresa do comércio alimentar investe 9,4 milhões em novos armazéns – Câmara de Braga concede isenção de 72 por cento no IMI e em taxas.

INVESTIMENTO

A Câmara de Braga analisou e votou, também, a concessão de isenções, de 72 por cento, no IMI (Imposto Municipal sobre Imóveis) e em taxas municipais à empresa Vanibru- Comércio de Produtos Alimentares, que vai investir 9,4 milhões de euros na construção de novas instalações, em Esporões.

A proposta de isenções partiu da empresa municipal, InvestBraga- Agência para a Dinamização Económica que concluiu pelo “interesse económico” do projeto para a cidade e a região.

O investimento passa pela ampliação dos armazéns da Vanibru, – especializada no comércio por grosso de produtos alimentares para os setores hoteleiro e de restauração – obra que implica a demolição das atuais instalações e a construção de novas, de maior dimensão, bem como a aquisição de mais equipamentos de frio e de estantaria. O investimento, a concretizar no prazo de 11 meses, implica a criação de 10 postos de trabalho e a manutenção dos atuais 91 trabalhadores.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS