REGIÃO

REGIÃO -

Câmara de Braga ‘oferece’ projecto inovador ao Centro Social do Vale do Homem em dia de aniversário

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

O que parecia ser um repto ou um desafio, era afinal um presente de aniversário que o presidente da Câmara Municipal de Braga entregou, esta sexta-feira à noite, ao Centro Social do Vale do Homem: o convite para participar num projecto-piloto dedicado à primeira infância.

Foi através de mensagem gravada que Ricardo Rio lançou o que chamou “um desafio importante” ao CSVH e que apanhou de surpresa a centena de convidados que, no Museu dos Biscainhos, participavam na comemoração dos ’15 anos de afectos’ e aguardavam pela apresentação do livro ‘CSVH -15 anos’ por Francisco Assis, presidente do CES- Conselho Económico e Social.

A “experiência-piloto” de que falou o autarca, pretende dar resposta a uma necessidade que muitos trabalhadores sentem, sobretudo os que trabalham à noite e têm grande dificuldade em deixar os filhos bebés.

PUBLICIDADE

Em conversa com os jornalistas, o presidente da direcção do CSVH, Jorge Pereira, reconheceu que a instituição ainda “não tem respostas no terreno” para aquela faixa etária, embora adiante que a questão “está já a ser trabalhada, mas ao nível do gabinete”.

“Estamos satisfeitos e orgulhosos por o presidente do município de Braga ter demonstrado disponibilidade para envolver o Centro Social num projecto que, pelo que entendi, quer ser uma resposta inovadora”, afirmou, realçando o carácter “cheio de simbolismo” ao acontecer num “dia muito importante para nós”.

De acordo com Ricardo Rio, o projecto envolve o município, a Junta de Freguesia de Gualtar – onde o CSVH pretende inaugurar na Primavera do próximo ano um novo lar para a terceira idade – e a Comissão de Trabalhadores do Hospital de Braga.

“Há a possibilidade de se chegar a um entendimento para dar essa a resposta inovadora na área do berçário e da creche”, afirma Jorge Pereira, lembrando que “há necessidade de adaptar estes serviços aos novos horários laborais por todo o país”, como está expresso no Plano de Recuperação e Resiliência.

“Trata-se de uma resposta que não existe no concelho de Braga”, diz. “Braga é uma cidade que tem crescido muito e consequentemente tem muitos trabalhadores em turno nocturno. Esses trabalhadores, esses casais que tem filhos precisam de deixar o seu bebé numa creche ou num berçário para terem de condições para poder trabalhar, como acontece com os funcionários do Hospital de Braga que fazem as noites”.

O tal projecto-piloto, avança Jorge Pereira, passa “por exemplo, ter estes serviços a funcionar 24 horas por dia, e não só das 9 horas da manha às 19 horas”.

“Estou ansioso por saber o que daqui pode surgir”, remata Jorge Pereira.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS