REGIÃO –

REGIÃO – -

Câmara de Braga promove ciclo de debates sobre eliminação das barreiras urbanísticas

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

No âmbito da Semana Europeia da Mobilidade 2018, o Município de Braga promoveu um ciclo de debates e sessões de esclarecimentos sobre a eliminação das barreiras urbanísticas em Montélios, na envolvente da Torre Europa, na envolvente da Makro e na Quinta da Fonte.

Este projecto-piloto, integrado no ‘Con)Viver o Bairro’  e enquadrado no Plano de Acção para a Mobilidade Urbana Sustentável (PAMUS) de Braga, visa a promoção dos modos sustentáveis, o aumento da segurança rodoviária, a melhoria da acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida, a gestão do estacionamento e circulação viária, a redução dos níveis de gases de efeito de estufa e a consequente melhoria da qualidade de vida das populações.

As sessões de esclarecimento tiveram como objectivo a auscultação dos moradores de cada uma das áreas referidas, assim como dos presidentes das respectivas juntas de freguesia de S. Victor e S. Vicente e da União de Freguesias de Real, Dume e Semelhe.

PUBLICIDADE

Para o vereador Miguel Bandeira, este é “um projecto-piloto que, no futuro, se pretende alargar a outras urbanizações e que vai humanizar uma área onde se perdeu a vivência urbana fundamental para as relações de vizinhança e para o usufruto do espaço público”.

“Acreditamos que esta auscultação ajuda a construir relações de confiança e diálogo com os cidadãos, promovendo projectos que vão ao encontro das necessidades das pessoas em harmonia com a cidade”, vinca Bandeira.

No terreno, os projectos serão concretizados através da implementação de percursos pedonais acessíveis e confortáveis, privilegiando a circulação por parte de pessoas com mobilidade reduzida através da implementação de passadeiras/cruzamentos sobrelevados, que funcionam como medida de acalmia de tráfego.

“São quase 7.000 metros lineares de percursos pedonais inacessíveis que vamos corrigir, o que representa 37% dos percursos existentes. Serão áreas totalmente acessíveis a todos e para todos”, acrescenta Miguel Bandeira.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS