REGIÃO –

REGIÃO – -

Câmara de Esposende e Governo assinam cedência de um forte e da antiga estação radionaval

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

O Secretário de Estado da Defesa Nacional, Marcos Perestrello, e o presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira, procedem sexta-feira, a partir das 15h30, à assinatura do Auto de Entrega ao Município do terreno da antiga Estação Radionaval de Apúlia e do Auto de Cedência do Forte de S. João Baptista. O acto ocorre precisamente no forte, onde os convidados são recebidos.

A Câmara Municipal de Esposende acertou com o Ministério da Defesa a concessão do Forte de São João Baptista por um período de 75 anos, tendo assim oportunidade não só de promover a requalificação daquele monumento como criar ali um novo polo de atracção que vai reforçar a posição de Esposende no contexto turístico, patrimonial e também em termos de investigação

PUBLICIDADE

O Município realça, a propósito, que este é um passo no sentido da recuperação e revitalização de duas estruturas emblemáticas e históricas do concelho, que se encontram em estado de abandono e degradação.

Na Estação Radionaval de Apúlia, desactivada em 2001, a Câmara vai instalar, em parceria com a Universidade do Minho, o Instituto Multidisciplinar de Ciências e Tecnologia Marinha (IMCTM).

Em causa estão 35.560 metros quadrados de terreno que foram alienados a Esposende, na sequência da decisão do Governo que desafectou essa área do domínio público militar, integrando-a no domínio privado do Estado. Pela área, o Município paga 936 mil euros.

O IMCTM traduz-se numa infraestrutura de investigação, desenvolvimento e inovação, que promoverá investigação básica e aplicada com um “forte enfoque” na criação, protecção e valorização de conhecimento em diversas áreas científicas que se enquadram no domínio da ciência e tecnologias marinhas.

Desenvolverá, assim, actividades ao nível da monitorização e erosão costeira, da biotecnologia marinha, da valorização de recursos e subprodutos de origem marinha e da utilização de recursos de origem marinha para aplicações biomédicas, nomeadamente em engenharia de tecidos e medicina regenerativa, cosmética, nutracêutica e farmacêutica.

No seu âmbito de actividade enquadra-se também a biologia, biodiversidade, genética e ecologia marinha, a exploração sustentável de recursos marinhos e proteção de recursos selvagens ameaçados ou em extinção e a segurança alimentar de alimentos de origem marinha.

ACTIVIDADES MARINHAS NO FORTE

Também em parceria com a Universidade do Minho, a Câmara de Esposende vai instalar o Centro de Divulgação Científica de Actividades Marinhas no Forte de S. João Baptista, na cidade.

Como o nome indica, irá divulgar actividades de ciência e tecnologia marinha, actividades ligadas à arqueologia e história naval e atividades pesqueiras, entre outras.

Com a instalação destas duas unidades, o Município pretende potenciar o empreendedorismo de base tecnológica e a ligação a empresas, nacionais e internacionais, criar um número “substancial” de empregos qualificados de base tecnológica, assim como criar sinergias e promover cooperações entre as instituições proponentes, de modo a potenciar o uso das estratégias desenvolvidas em diversas aplicações.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS