VILA VERDE

VILA VERDE -

Câmara de Vila Verde avança para a aquisição do património do ex-IEMinho

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

A Câmara Municipal de Vila Verde irá analisar e votar, na reunião do Executivo do próximo dia 19 de Novembro, uma proposta para a aquisição de todo o património do ex-IEMinho, «no valor de 851.500,00€». Este património, cuja descrição corresponde a um «prédio urbano, composto por parcela de terreno, e o edifício que ali se encontra edificado, assim como o recheio do mesmo, situado junto à Variante à EN101, na freguesia de Soutelo, no concelho de Vila Verde, foi avaliado em mais de 1 milhão e 500 mil euros e esteve à venda em leilão online», pode ler-se em nota enviada.

Este processo de venda decorreu entre 4 de Agosto e 1 de Outubro de 2019, com um valor base de 1 557 411,77€ e um valor mínimo de 1 323 800,00€, não tendo sido apresentadas propostas dentro destes montantes, razão pela qual teve início o processo de venda por negociação particular.

A proposta de aquisição do imóvel, por parte da Câmara Municipal de Vila Verde, pelo valor 851.500,00€, visa permitir a «reestruturação e a revitalização daquela infraestrutura que se tem vindo a destacar no âmbito da realização de um persistente e frutífero trabalho de apoio ao empreendedorismo, à inovação, à qualificação e à criação de emprego».

PUBLICIDADE

A maioria social-democrata da autarquia Vilaverdense apresentou uma proposta que vai no sentido de que o «edifício e o respetivo recheio se destinem, preferencialmente, à missão de apoiar o ensino, a qualificação e formação profissional e o emprego, no concelho de Vila Verde, tal como o empreendedorismo e a inovação científica e tecnológica».

FINS

Embora admitindo outras possibilidades, o imóvel poderá ser potenciado para a «instalação de um polo de ensino superior e/ou investigação no concelho, para o que, a avançar esta possibilidade, serão encetados contactos com universidades ou institutos politécnicos», acrescentam.

Outros fins poderão ser a «incubação de novas empresas e o desenvolvimento de projetos empresariais», com impacto positivo na «modernização do tecido empresarial concelhio, no dinamismo económico da região e na criação de emprego».

«ACRESCENTA VALOR À ESTRATÉGIA EM CURSO DE DINAMIZAÇÃO DA ECONOMIA LOCAL»

O Presidente da Câmara Municipal de Vila Verde, António Vilela, sublinha, em nota enviada, que «Vila Verde encontra, nesta proposta de aquisição do património do ex-IEMinho, uma oportunidade e um desafio para poder dar mais um contributo decisivo no sentido do fomento do ensino e da investigação científica no território concelhio, ao mesmo tempo que, com este esforço financeiro, estará também, com toda a certeza, a acrescentar valor à estratégia em curso de dinamização da economia local e de criação de postos de trabalho para uma população cada vez mais qualificada, empreendedora e disposta a apostar fortemente na inovação».

António Vilela sustenta ainda que, «além de o património em causa ter um valor elevado, manifestamente bastante acima da proposta apresentada pela Câmara Municipal, é fundamental ter em linha de conta a enorme mais-valia que o mesmo representa para o setor empresarial e para o fomento da economia local e regional».

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

Acesso exclusivo por
um preço único

Assine por apenas
2€ / mês
* Acesso a notícias premium e jornal digital por apenas 24€ / ano.