VILA VERDE –

VILA VERDE – -

Câmara vai pedir empréstimo de três milhões ao Banco Europeu de Investimento

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

A Câmara de Vila Verde discute na próxima reunião de executivo, agendada para segunda-feira, a abertura de um procedimento para contrair um empréstimo, superior a três milhões de euros, ao Banco Europeu de Investimento (BEI) destinado a financiar a componente nacional de obras apoiadas por fundos europeus.

Em comunicado, o executivo liderado por António Vilela explica que o BEI, em articulação com o Governo e a Associação Nacional de Municípios, lançou uma linha de crédito bonificada para as autarquias, visando aumentar a taxa de execução de fundos comunitários, de forma a que não se percam oportunidades de investimento.

«O valor do empréstimo, que poderá atingir 3.278.499,13€, vai assegurar a realização de um volume total de obras superior a 13 milhões de euros, que permitirão elevar a qualidade de vida dos vilaverdenses», refere o autarca.

PUBLICIDADE

Segundo António Vilela, «o valor do empréstimo a contratar só é possível porque a autarquia goza de boa saúde financeira, e destina-se a financiar a componente não financiada das obras de saneamento básico, requalificação de escolas, reabilitação urbana, centros de saúde e mobilidade sustentável, em curso no território do concelho de Vila Verde».

O edil acrescenta que Vila Verde «não pode perder esta oportunidade criada pelo Orçamento de Estado e ratificada pela Associação Nacional do Municípios Portugueses de financiar a contrapartida de operações de investimento autárquico no âmbito de Programas Operacionais do Portugal 2020, através de uma solução de crédito com condições mais favoráveis para o Município, do que as disponíveis no mercado bancário».

«Esta é uma ferramenta financeira europeia que incentiva as autarquias Portuguesas a terem condições para acelerar a execução dos projetos financiados, para que as taxas a nível nacional sejam elevadas e os fundos não sejam devolvidos à União Europeia», vinca.

Ao recorrer a esta linha de financiamento, Vila Verde «ficará preparado e na linha da frente para captar, no curto espaço de tempo, novos projectos âncora para todos os vilaverdenses, que surgirão nos programas operacionais europeus futuros».

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS