AUTÁRQUICAS

AUTÁRQUICAS -

Candidato do BE a Guimarães defende regresso “urgente” dos espectáculos e solução para a Convívio

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Luís Lisboa, candidato do Bloco de Esquerda (BE) à Câmara Municipal de Guimarães, reuniu esta segunda-feira com a direcção da Convívio. A necessidade “urgente” de regresso dos espectáculos culturais foi uma conclusão do encontro, onde foi analisada a situação da sede da associação.

Além da  necessidade urgente de regresso dos espectáculos culturais, “por uma questão de sobrevivência dos artistas e técnicos, bem como para garantir este bem essencial às pessoas”, Luís Lisboa considerou que Cultura “não só é segura, como é essencial para a nossa identidade e para a forma como nos humanizamos e socializamos”.

Em cima da mesa esteve também “a pressão imobiliária” que está a ser exercida na situação contratual da sede do Convívio. A associação encontra-se neste local há mais de quatro décadas, mas foi contactada, soube o candidato bloquista, a 8 de Agosto de 2018 pelo senhorio” a perguntar se queria exercer o direito de preferência sobre a sede”. 

PUBLICIDADE

Em muito pouco tempo conseguiram reunir o montante necessário para exercer o direito de preferência, mas como a associação não ocupa todo o edifício, não pode exercer esse direito, sintetiza

Luís Lisboa, acompanhado pela candidata à Assembleia Municipal, Sónia Ribeiro, foi informado que o edifício foi vendido a um conhecido empresário local, dono de um  hostel contíguo ao edifício onde se encontra a Convívio. 

“A situação, apesar de profundamente lamentável e lesiva dos interesses culturais e recreativos da cidade, é legal. Portanto, de um momento para o outro a Convívio passou a ter um contrato a termo, por 10 anos. Já passaram três e daqui por sete anos o contrato pode ser denunciado”, afirma.

“O Bloco lamenta que toda a zona história esteja a saque dos grandes interesses imobiliários para tornar toda a zona em turismo e alojamento local”, afirma os bloquistas, propondo “limitar a utilidade dos prédios do centro histórico, para combater a gentrificação e para que o centro da cidade possa ser habitado e usufruído pelos vimaranenses”.

Luís Lisboa lembra que a associação Convívio é uma das 38 associações com “relevância história” da Cidade Berço, “como também o berço de muitas das principais ideias culturais da cidade”.

 A associação completa 60 anos no próximo mês Outubro e, ao longo da sua história, organizou a Marcha Gualteriana, festival Encontros da Primavera e esteve na origem do Guimarães Jazz. Actualmente, organiza o Convívios à Varanda, Verão é Jazz, Suave Fest, entre muitas outras iniciativas.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

Acesso exclusivo por
um preço único

Assine por apenas
2€ / mês
* Acesso a notícias premium e jornal digital por apenas 24€ / ano.