VILA VERDE

VILA VERDE -

Paulo Marques (CDS-PP) volta à carga: «Lixo e mais lixo em Vila Verde, verão após verão»

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

O Presidente da Comissão Política do CDS-PP de Vila Verde, Paulo Marques, manifestou-se, esta quarta-feria, em comunicado, sobre os problemas relacionados com a recolha de lixo no Concelho. «Não tem lógica alguma sermos um Concelho Verde (não só no nome) e todos os anos termos problemas miseráveis de lixo no verão», sublinha, atirando: «”Vila Verde pela positiva” não é viverem 60.000 pessoas nos meses de verão rodeadas de lixo e mau cheiro».

Em nota enviada, o centrista destaca que a situação «não faz sentido algum. A par da falta de água, também os problemas com a recolha do lixo são recorrentes, ano após ano. Até parece “normal”, mas não é, não há “época” do lixo em lado nenhum. É antes uma vergonha, que periga a saúde pública (mais ainda nestes tempos de Covid-19)».

Paulo Marques vai mais longe, criticando o executivo camarário pela «mensagem» que tenta «vender à população».

PUBLICIDADE

«Quem estiver atento ao discurso do executivo camarário (que ninguém sabe dele nestas alturas), percebe que culpabiliza, mais coisa menos coisa, directa ou indiferentemente, as populações pelos problemas de lixo. Ou é a falta de civismo, ou por não separar o lixo, ou por colocá-lo nos contentores fora de horas, etc, etc. Para estes senhores e esta senhora, eles é que não tem nada que ver com isto, não ter culpa de nada, até parece que não foram exactamente quem entregou, pagando bem caro os vila-verdenses, a recolha do lixo a um negócio privado», diz.

«FAMIGERADA DESCULPA DE SER TUDO FALTA DE CIVISMO»

O Presidente da Comissão Política do CDS-PP de Vila Verde critica, ainda, a «famigerada desculpa de ser tudo só falta de civismo».

«Se é certo que há falta de civismo, também é certo que não existe só no verão, não é uma “doença” veranil. É-o o ano todo.  Há alguma falta de civismo por parte das pessoas no verão? Sim, há, como durante o ano todo. Justifica por si só a vergonha do lixo em Vila Verde no verão? Não, não justifica. O problema central? Incompetência e desleixo. A recolha não está programa para a quantidade de lixo que se faz no verão, isto é, o carro não passa as vezes que são necessárias. Ponto! No verão há mais pessoas, há mais arrumações, há mais lixo, nada mais normal. É, até, bom sinal, é sinal que temos connosco mais pessoas, mais amigos, familiares e visitantes», afirma.

«EXIJA-SE QUE NOS MESES DE VERÃO RECOLHAM MAIS VEZES»

Paulo Marques refere também que foram pagos «6 milhões de euros a uma empresa privada para fazer a recolha do lixo», algo que no seu entender deve resultar numa maior e mais eficiente recolha.

«Exija-se que nos meses de verão recolham mais vezes, muito mais vezes e, já agora, que façam o seu trabalho com profissionalismo e que lavem os contentores sempre (devia ser obrigatório). 6 milhões é muito dinheiro. O contrato com este senhor diz que são obrigados a um reforço da recolha quando necessário e também fazer acções de formação e consciencialização das populações. Alguém vê alguma coisa?», prosseguindo com outras sugestões. «As multas para os lixos ilegais de obras devem ser revistas e a fiscalização deve ser bem mais apertada e dura. Incentive-se a população residente a libertar na primavera os monos e monstros, libertando os serviços nos meses de verão para os nossos visitantes», declara. 

«DÊEM A CARA E JUSTIFIQUEM-SE ÀS POPULAÇÕES»

Por último, o centrista sublinha que se deve pedir «à população responsabilidade e respeito pelo próximo, mas exija-se do executivo camarário alguma, mesmo que pouca, capacidade de liderança e que faça cumprir o contrato que assinou com a empresa … já agora, dêem a cara e justifiquem-se às populações, só lhes ficava bem. Vila Verde pela positiva é liderança, higiene e limpeza», conclui.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

Acesso exclusivo por
um preço único

Assine por apenas
2€ / mês
* Acesso a notícias premium e jornal digital por apenas 24€ / ano.