LEGISLATIVAS

LEGISLATIVAS -

CDU denuncia falta “gritante” de alojamento para estudantes da Universidade do Minho

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Torcato Ribeiro, número 1 da candidatura da CDU pelo distrito de Braga, afirmou esta terça-feira que o Governo deve assumir de “forma plena e cabal” o financiamento das instituições de ensino superior e considerou “gritante” falta de alojamento para os estudantes.

“Este apenas cobre cerca de 60% das despesas com salários. O remanescente de salários, despesas de funcionamento, etc, tem que ser coberto com receitas próprias. É negativo que assim seja”, conclui após encontros com o reitor da Universidade do Minho (UMinho) e a direcção associação académica da instituição minhota (AAUM), em Braga. 

No encontro com Vieira de Casto, a delegação da coligação PCP-PEV abordou o sub-financiamento da universidade, “decorrente das opções de sucessivos governos PS, PSD e CDS/PP em não dotar as instituições públicas de ensino superior das verbas necessárias”.

PUBLICIDADE

 A construção de novas residências em Braga e Guimarães, no sentido de corresponder “à necessidade gritante” de alojamento para estudantes, foi outro tema que esteva na agenda dos encontros. não passou ao lado das questões tratadas. 

“Sobre esta matéria – realçou Torcato Ribeiro – só depois da pressão dos responsáveis universitários é que o governo do PS acedeu a não considerar o financiamento previsto no âmbito do PRR como um empréstimo, a ser pago pelas instituições nas próximas décadas”.

No encontro com a AAUM, os representantes dos estudantes partilharam com a CDU preocupações sobre a falta de alojamentos, sugestões de medidas de reforço dos apoios aos estudantes, em matéria de transportes e meios para o estudo, e preocupações sobre a situação de sub-financiamento da UMinho.

O número 1 comunista, acompanhado por Bárbara Barros, pelo mandatário regional Agostinho Lopes, por Belmiro Magalhães, da Comissão Política do Comité Central do PCP, e por João Luís Silva, da Comissão Política da Direcção Nacional JCP, lembrou que a UMinho tem actualmente uma oferta total de cerca de 1.300 camas, entre Braga e Guimarães, com uma taxa de ocupação anual a rondar os 100%.

“Com cerca de 5 mil estudantes bolseiros deslocados é urgente reforçar a resposta e melhorar a oferta”, afirmou. 

“O governo fala em mais 15 mil camas no país, mas no concreto tarda em disponibilizar os meios e os recursos financeiros para concretizar esse objectivo, empurrando a solução deste problema para os próximos anos, dificultando assim o acesso dos jovens ao ensino superior”.

Agostinho Lopes destacou “com mais de 20 mil estudantes, a UMinho conta com cerca de 5.500 alunos bolseiros, milhares de estudantes deslocados, pelo que o reforço da Acção Social Escolar é uma necessidade particularmente premente”. 

“A concretização de investimento no reforço dos transportes públicos, desde logo as ligações ferroviárias no quadrilátero Braga-Guimarães-Famalicão-Barcelos, e de soluções de tarifários tendentes à progressiva gratuitidade, são causas que a CDU assume como muito importantes”, afirmou Agostinho Lopes, antigo deputado pelo distrito de Braga.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

Acesso exclusivo por
um preço único

Assine por apenas
2€ / mês
* Acesso a notícias premium e jornal digital por apenas 24€ / ano.