REGIÃO -

REGIÃO - -

Centro Social Vale do Homem promove quarentena dos colaboradores para «combater o Covid-19»

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Pela saúde de todos os seus utentes e de todos os seus colaboradores e porque “ficar em casa” para cumprimento da quarentena é a «única arma de que dispomos para combater o COVID 19», a Direcção do Centro Social do Vale do Homem e o conjunto dos seus colaboradores «concordaram – para além de outras já em vigor no âmbito do Plano de Contingência definido na instituição – implementar algumas medidas excepcionais de prevenção».

«Limitar o número de entradas de pessoas vindas do exterior, designadamente profissionais do CSVH que são necessários para a prestação dos cuidados pessoais diários aos utentes, organizando equipas rotativas de “piquete permanente” nas ERPI/Lares – Centro Social (sede), Lar das Termas e Casa da Alegria. Estas equipas são formadas por colaboradores que permanecerão nas instalações ERPI por períodos seguidos de 14 dias, cumprindo com os devidos horários de trabalho e de descanso no próprio local de trabalho». Esta medida permite que os restantes colaboradores de apoio directo aos utentes possam «cumprir com o período de quarentena em sua casa e assim garantir maior segurança aos utentes no seu regresso ao serviço».

Quanto aos colaboradores sem funções de apoio directo aos utentes, «cumprirão o período de quarentena no seu domicílio, prestando a sua actividade em regime de teletrabalho e participando, à distância, na prestação dos serviços do CSVH».

PUBLICIDADE

Será também «reforçada a colaboração com as famílias dos utentes do Serviço de Apoio Domiciliário, definindo práticas de actuação adequadas e necessárias para protecção dos utentes (uso de equipamento de protecção individual por parte dos profissionais, aconselhamento sobre formas de evitar/minimizar fontes de contágio no domicílio)» e a «cooperação com as famílias de retaguarda para apoio na satisfação das necessidades diárias de cada um».

Outra das medidas assento em «condicionar o acesso às ERPI por parte de fornecedores, limitando as entradas ao estritamente necessário para a garantia de abastecimentos em bens e produtos essenciais ao bem estar dos utentes e colaboradores».

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS