REGIÃO

REGIÃO -

Comunidade de Leitores criada pela UMinho e por municípios do Norte reúne-se mensalmente há cinco anos

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Esta quarta-feira realiza-se a 50ª sessão da Comunidade de Leitores da Rede Casas do Conhecimento (CdC), promovida pela Universidade do Minho e por diversos municípios do Norte. Às 17h30, no edifício da CdC de Paredes de Coura e também online, o vice-presidente desta autarquia, Tiago Cunha, vai falar sobre o livro de crónicas “O menino está de volta”, do jornalista conterrâneo Manuel Tinoco e prefaciado pelo escritor Mário Cláudio.

Segundo a Universidade do Minho, “o objetivo é o de sempre: juntar redes locais de leitores para discutir e refletir sobre determinado livro, promovendo a cultura e o conhecimento”.

A Comunidade de Leitores reúne-se na terceira quarta-feira de cada mês, quer online como fisicamente nas Casas do Conhecimento dos municípios de Boticas, Fafe, Montalegre, Paredes de Coura, Valongo ou Vila Verde. A sessão inicial foi a 19 de junho de 2019, em Guimarães, com os investigadores Carlos Fiolhais e David Marçal a abordarem o seu livro “A Ciência e os seus inimigos”.

Tem havido diversas sessões marcantes, como o livro “Ensaio sobre a Cegueira”, de José Saramago, comentado por Pilar del Río (presidente da Fundação José Saramago); “Prazer e Glória”, de Agustina Bessa Luís, pelo olhar da filha Mónica Baldaque; ou “Um retrato de Fernando Pessoa o empreendedor”, apresentado pelo próprio autor e gestor cultural António Mega Ferreira.

O ciclo já focou obras de autores ímpares como Miguel Torga, Natália Correia, Fiódor Dostoiévski, George Orwell, Svetlana Alexievich ou J. R. Tolkien, mas há igualmente espaço para autores locais ou menos conhecidos, como Bento da Cruz, Marlene Castro e José Carlos Barros, entre outros. A supervisão da iniciativa cabe à UMinho, através do diretor da sua CdC, José Gabriel Andrade, e do responsável dos Serviços de Documentação e Bibliotecas, Eloy Rodrigues.

“Temos a cada mês a participação contínua de um conjunto de pessoas interessadas de todas as idades à volta dos livros e da cultura, e vão também chegando novos membros, inclusive de países da língua portuguesa”, refere José Gabriel Andrade. Na UMinho, surgiu uma extensão recente da Comunidade de Leitores, designada “Programa de apoio a integração de alunos focado em iniciativas de grupos de leitura”, procurando sensibilizar para a literatura, a partilha e a reflexão sobre a sociedade.

A Rede Casas do Conhecimento foi criada há 12 anos pela UMinho para sensibilizar e envolver as comunidades locais em desafios como as tecnologias de informação, a criatividade e a inovação, potenciando o desenvolvimento económico-social e o empreendedorismo de base regional.

Está presente em 15 espaços no Norte e em dois espaços no Alentejo, com infraestruturas tecnológicas e humanas para dinamizar a sociedade do conhecimento e desenvolver atividades em rede para beneficiar o maior número possível de cidadãos, combatendo simultaneamente a infoexclusão. O site oficial é www.casasdoconhecimento.pt.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

PUBLICIDADE

Acesso exclusivo por
um preço único

Assine por apenas
3€ / mês

* Acesso a notícias premium e jornal digital por apenas 36€ / ano.