BRAGA

BRAGA -

Covid-19 “acelerou exponencialmente” a transição digital em Braga, afirma Ricardo Rio no ‘Techdays Aveiro’

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Ricardo Rio afirmou esta sexta-feira, na 6ª edição do ‘Techdays Aveiro’, que a pandemia de covid-19 “acelerou de forma exponencial” a transição digital em Braga, um dos “grandes marcos distintivos” da cidade.

Falando num painel subordinado ao tema ‘Transformação Digital de Cidades e Comunidades – a perspectiva dos Municípios’ o presidente da autarquia bracarense sustentou que a transição para o digital, um “processo acelerado de forma exponencial nos últimos meses devido às circunstâncias que vivemos, está presente em todas as dimensões da vida quotidiana e é um dos grandes marcos distintivos de Braga”.

O autarca apontou o concelho de Braga como um dos primeiros a ter uma universidade com “foco nas tecnologias de informação” o que “alicerçou uma dinâmica essencial para a cidade e até para toda esta euro-região”.

PUBLICIDADE

“A dimensão do desenvolvimento económico por via do conhecimento, da inovação, da investigação, da ligação entre as universidades e empresas é a grande base do sucesso alcançado nos últimos anos, permitindo atrair empresas multinacionais para o território, criar postos de trabalho de qualidade e aumentar a qualidade de vida dos cidadãos”, sublinhou, adiantando ainda que a “recolha e processamento de dados e informação é um ponto muito importante no apoio à tomada de decisão por parte dos responsáveis políticos”.

No evento, dedicado a tecnologias da informação, comunicação, informática electrónica, Ricardo Rio assegurou u que o concelho bracarense “irá continuar a trilhar este caminho e lembrou que a dimensão humana é crucial para o seu sucesso”.

“Uma das limitações com que nos deparamos está relacionada com a qualificação das pessoas para a procura que existe nestas áreas diferenciadoras”, referiu, defendendo que “em Braga temos argumentos para fixar pessoas de fora que procuram uma boa qualidade de vida e queremos atrair os talentos da área tecnológica para as empresas com presença no território”.

Para além do trabalho efectuado pelas autarquias nesta matéria, é, salientou “também essencial que o Estado Central crie condições para que a oferta de formação seja substancialmente superior nestas áreas e vá de encontro à procura que já hoje existe”.

Moderado pelo jornalista Júlio Magalhães, esta sessão contou ainda com a presença do presidente da Câmara Municipal de Aveiro, Ribau Esteves, e do presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, que partilharam a sua visão sobre esta temática, analisando e discutindo a importância dos processos de digitalização dos serviços, do uso da tecnologia no apoio à gestão das cidades e do papel dos cidadãos neste processo.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS