SAÚDE –
Covid-19. UMinho activa comissão de elaboração de plano de contingência interno

A Universidade do Minho (UMinho) constituiu esta quarta-feira a uma Comissão de Elaboração e Gestão de um plano de contingência interno no contexto da epidemia causada pelo novo Coronavírus, o Covid-19.

Segunda uma nota publicada pela instituição de ensino superior na internet, a comissão é constituída por um grupo de responsáveis de diferentes áreas de actuação da UMinho, entre eles o pró-reitor para a Qualidade de Vida dos Campi e Infraestruturas e os administradores da UMinho e dos Serviços de Acção Social.

PUBLICIDADE

“Considerando o actual estado de emergência de Saúde Pública, declarado pela Organização Mundial de Saúde, e atendendo às mais recentes evoluções da propagação da infecção por doença respiratória causada pelo agente Coronavírus (SARS-CoV-2 e COVID-19) tendo como linha de referência as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), a Universidade do Minho está a elaborar um Plano de Contingência Interno para o SARS-CoV-2 e COVID-19”, lê-se no site da UMinho.

O documento, acrescenta a UMinho, “estará em consonância” com as directivas do SNS para infecção humana pelo COVID-19, e “definirá o nível de resposta e de acção” da instituição para minimizar os riscos de transmissão daquele agente patogénico.

O plano e as medidas internas de prevenção e controlo da doença aplicam-se a todos os membros da comunidade académica e àqueles que, por motivos profissionais ou outros, se desloquem às instalações da Universidade.

RECOMENDAÇÕES

A UMinho recomenda a toda a comunidade académica da Universidade do Minho siga as seguintes orientações:

  • Devem ser canceladas ou adiadas as deslocações, em especial às regiões onde exista transmissão activa do COVID-19 na comunidade, sendo dada prioridade à utilização de meios de trabalho à distância. A lista dos países onde se verifica transmissão activa do novo coronavírus é objecto de actualização diária no site da DGS ;

 

  • Deve igualmente ser evitada a realização de reuniões científicas ou outras que, pelo envolvimento de intervenientes internacionais ou pela elevada acumulação de participantes, possam constituir risco de focos de transmissão. Recomenda-se nomeadamente o adiamento de congressos internacionais previstos para a Universidade do Minho e o cancelamento da participação de membros da comunidade da Universidade do Minho em reuniões similares;

 

 

    • Estar atentos ao aparecimento de febre, tosse ou dificuldade respiratória;
    • Verificar se alguma das pessoas com quem conviveu de perto, desenvolveu sintomas (febre, tosse ou dificuldade respiratória);
    • Caso apareça algum dos sintomas referidos (no próprio ou nos seus conviventes), não se deslocar de imediato aos serviços de saúde, mas ligar para a linha Saúde 24 (808 24 24 24) e seguir orientações que lhe forem transmitidas e informar a chefia directa, tal como previsto no plano de contingência.
    • Nos 14 dias após o regresso, promover um distanciamento social responsável, nomeadamente, não permanecendo em locais muito frequentados e fechados.

 

A comunidade deve, ainda, seguir as seguintes recomendações da DGS:

  • Lavar frequentemente as mãos com água e sabão, esfregando-as bem durante pelo menos 20 segundos, especialmente antes e após a preparação de alimentos, antes das refeições, após o uso da casa de banho e sempre que as mãos estejam sujas;
  • Usar, em alternativa, para higiene das mãos uma solução à base de álcool;
  • Usar lenços de papel de utilização única para se assoar;
  • Deitar os lenços usados num caixote do lixo, lavando as mãos de seguida;
  • Tossir ou espirrar para o braço com o cotovelo flectido, e não para as mãos;
  • Evitar tocar nos olhos, no nariz e na boca com as mãos sujas ou contaminadas com secreções respiratórias;
  • Em caso de aparecimento de sintomas, que configurem um caso suspeito de acordo com a orientação da DGS, isto é:

 

    • Sintomas respiratórios agudos (febre ou tosse ou dificuldade respiratória)

e

 

    • Tenha viajado para áreas com transmissão comunitária activa nos 14 dias antes do início dos sintomas

ou

 

    • Tenha contactado com caso confirmado ou provável de infceção por SARS-CoV-2/COVID-19, nos 14 dias antes do início dos sintomas

 

Deve abster-se de deslocações à Universidade do Minho, informando a chefia directa, e contactar a Linha Saúde 24 ou, caso já se encontre nos campi, seguir as recomendações do plano de contingência.