SAÚDE –

SAÚDE – -

Covid-19. Universidade do Minho encerra campus de Braga

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

A Universidade do Minho suspendeu por tempo indeterminado todas as actividades lectivas e serviços no campus de Gualtar da Universidade do Minho (UMinho), em Braga, depois de um aluno ter sido infectado com o novo coronavírus, anunciou o reitor este domingo de manhã.

Uma universidade sem aulas, complexos pedagógicos e desportivos e cantinas é o cenário que o campus bracarense apresentará esta segunda-feira, concretizando as medidas definidas pela comissão de gestão do plano de contingência. A instituição vai proceder agora à higienização dos edifícios.

PUBLICIDADE

As residências universitárias, contudo, mantêm-se abertas, como acontece com o campus de Azurém, em Guimarães.

O plano foi activado na sequência da confirmação da infecção com o Covid-19 de um aluno de História, natural de Felgueiras, explicou Vieira de Castro, avançando que o estudante em causa esteve em contacto com outros colegas e professores, pessoas que estão a ser identificadas e contactadas.

“Cerca de 180 estudantes serão contactados, mas não estão ainda de quarentena, até porque essas são medidas que cabem à autoridade de saúde”, especificou o reitor, citado pela Rádio Universitário do Minho.

Entre alunos, funcionários, professores e investigadores, circulam diariamente mais de 12 mil pessoas pelo campus bracarense.

Recorde- se que após a confirmação da infecção do aluno de História da UMinho, a ministra da Saúde, Marta Temido, anunciou o encerramento do edifício do Instituto de Ciências Sociais. Entretanto, e após contactos com as autoridades de saúde, o encerramento foi alargado a todos os complexos pedagógicos do campus.

Ainda no sábado o governo anunciou a suspensão temporária de visitas em hospitais, lares e estabelecimentos prisionais na região Norte. Foram também encerrados temporariamente alguns estabelecimentos de ensino secundário e da Faculdade de Farmácia do Porto. Marta Temido admitiu que o risco da epidemia em Portugal pode ser reavaliado ainda este domingo, e levar à adopção de novas medidas excepcionais.

São já 25 os casos positivos do novo coronavírus em Portugal. Esta domingo de manhã foram confirmados mais quatro, que estão no Hospital de São João, no Porto, onde já há um hospital de campanha, cedido pelo INEM.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS