PAÍS

PAÍS -

Despedimentos disparam cerca de 68% entre Março de 2020 e Fevereiro de 2021

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Os mais recentes dados do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) mostram que entre Março de 2020 e Fevereiro de 2021 perto de 93 mil pessoas inscreveram-se como desempregadas após terem sido despedidas, às quais se somam aproximadamente 308 mil, cujo trabalho não permanente chegou ao fim nos últimos 12 meses.

O agravamento da pandemia deixou “marcas” em Portugal, nomeadamente ao nível do emprego, e segundo os dados do IEFP, a precariedade (fim do trabalho não permanente) foi o motivo maior por trás das novas inscrições nos centros de emprego, seguindo-se os despedimentos. 

A crise pandémica levou o Governo a impor restrições à mobilidade e às actividades económicas, algo que tem “castigado” os negócios e as contas das muitas empresas. Para evitar um agravamento do desemprego, o executivo liderado por António Costa elaborou um conjunto de apoios por forma a “salvar” os postos de trabalho, contudo, o desemprego agravou-se em 2020. 

PUBLICIDADE

TRABALHO POR CONTA PRÓPRIA

O número de pessoas com trabalho por conta própria que se inscreveram no IEFP como desempregadas subiu aproximadamente 22% nos últimos 12 meses.

De realçar ainda que que estes números dizem respeito a desempregados que se inscreveram no IEFP, algo que pode ficar abaixo do número “real” de pessoas que efectivamente perderam o seu emprego.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS