SAÚDE -
Doentes suspeitos, recém-nascidos, grávidas e profissionais de saúde prioritários para testes ao Covid-19

A Direcção-Geral da Saúde (DGS) estabeleceu uma cadeia de prioridades para um cenário em que “não seja possível testar todos” os suspeitos, que entra em vigor a partir da meia-noite de quinta-feira.

Frisando que “os doentes com suspeita de Covid-19 devem ser submetidos a teste laboratorial”, a DGS fixa, na Norma 004/2020, uma cadeia de prioridades para um cenário em que “não seja possível testar todos” os suspeitos de estarem infectados.

Nesse caso, a DGS determina a seguinte prioridade: primeiro, os doentes com critérios de internamento hospitalar; segundo, os recém-nascidos e as grávidas; e terceiro, os profissionais de saúde sintomáticos.

PUBLICIDADE

Na cadeia de prioridades determinada na Norma 004/2020 seguem-se doentes com comorbilidades (como asma, insuficiência cardíaca ou diabetes), doentes em situações de maior vulnerabilidade, como residência em lares e unidades de convalescença, e, finalmente, doentes com contacto próximo com as pessoas anteriormente referidas.

Atendendo ao alargamento progressivo da expressão geográfica da pandemia Covid-19 em Portugal, urge planear as medidas que garantam uma resposta adequada, atempada e articulada de todo o sistema de saúde”, justifica a DGS.

A actual fase de mitigação tem como objectivo atenuar os efeitos da doença, nomeadamente diminuindo a taxa de mortalidade, e limitar a sua propagação.