EDIÇÃO IMPRESSA –Em entrevista, Júlio Dias revela que ponderou saída da Academia de Música e defende revisão dos Contratos Patrocínio com o Ministério

EDIÇÃO IMPRESSA –
Em entrevista, Júlio Dias revela que ponderou saída da Academia de Música e defende revisão dos Contratos Patrocínio com o Ministério

Uma carta anónima enviada ao Ministério Público em 2013, aquando do período eleitoral, resultou na abertura de um inquérito em que a honra de Júlio Dias e outros elementos da Academia foi posta em causa. Volvidos cinco anos, deu-se o seu arquivamento mas o «abalo» sentido foi para o Presidente da Academia de Música de Vila Verde uma «pancada violenta», que o fez ponder a saída.

A situação actual da Academia face aos apoios do contrato de patrocínio e a postura das entidades decisoras são também alguns dos aspectos focados por Júlio Dias, às quais aponta que «não vêm à realidade nem procuram ouvir a opinião das Academias e isso é fundamental».

Mais desenvolvimentos na edição impressa deste mês

PUBLICIDADE