SAÚDE

SAÚDE -

Enfermeiros do ACES/Cávado I Braga exigem métodos de avaliação iguais aos dos colegas da Madeira

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Um grupo de 40 enfermeiros do ACES Cávado I Braga manifestou hoje o desejo de ter um tratamento, na avaliação de desempenho, semelhante ao que foi obtido na Madeira pelos colegas que ali trabalham.

Fonte sindical adiantou ao “Vilaverdense” que o grupo se reuniu, esta manhã, no auditório da Associação de Futebol de Braga, na cidade, com representantes do Sindicato Democrático dos Enfermeiros de Portugal (SINDEPOR), para apresentarem queixas relacionadas com a avaliação de desempenho.

O grupo salienta que, na Região Autónoma, e por iniciativa do SINDEPOR, acordou-se que os enfermeiros do SESARAM (o serviço regional de saúde) vão ter uma avaliação de 4 pontos no biénio 2019-2020 e mais 4 pontos em 2021-2022, no SIADAP (Sistema Integrado de Avaliação da Administração Pública). Os enfermeiros do ACES Cávado I Braga consideram que “Portugal é uno e que também têm direito à mesma pontuação garantida pelo acordo obtido na Madeira”.

PUBLICIDADE

Ao acumularem dez pontos, os enfermeiros têm direito a progredir na carreira.

Aquela fonte salientou que, “muitos dos enfermeiros defenderam que o processo de avaliação é burocrático e difícil de completar. Por isso, perguntam se devem virar costas aos doentes para responderem ao processo de avaliação. Uma dúvida ainda mais premente em contexto de pandemia”.

ACES/Braga

No caso concreto do ACES Cávado I Braga – acentuam – “foi criado um instrumento específico de complemento à informação que cada enfermeiro tem de preencher sobre os cuidados de saúde que prestou a cada doente (sendo que cada enfermeiro pode ter 2 mil ou mais pacientes)”. Outra queixa recorrente diz respeito à inadequação do SIADAP à profissão de enfermeiro. Isto – sublinham – porque “o processo de avaliação é de tal forma complexo, que muitos enfermeiros expressaram também a sua vontade de o boicotarem, tendo inclusive apelado aos colegas para procederem da mesma forma”.

Os elementos do SINDEPOR presentes na reunião, liderados pelo presidente, Carlos Ramalho, aconselharam os enfermeiros a participar no processo de avaliação, apesar de todas as dificuldades que enfrentam.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS