VILA VERDE -

VILA VERDE - -

Escola Monsenhor Elísio Araújo e Secundária de Vila Verde vão ter “Espaços Casa” para alunos com necessidades especiais

São apresentadas esta quarta-feira, 16 de Outubro, os “Espaços Casa” da Escola Monsenhor Elísio Araújo e da Escola Secundária de Vila Verde, iniciativas inseridas no âmbito do Plano Integrado e Inovador de Combate ao Insucesso Escolar (PIICIE) – “Projecto Aprender a Ser com Competências Transversais”.

“ESPAÇO CASA”

O Espaço Casa” é um espaço integrado em contexto escolar com condições e instrumentos essenciais para a aquisição/desenvolvimento de competências em linha com o Currículo Específico Individual dos alunos com necessidades especiais.

PROGRAMA

O “Espaço Casa” da Escola Monsenhor Elísio Araújo será apresentado durante a manhã, pelas 10h, e na parte da tarde, às 16h, será a vez da Escola Secundária de Vila Verde.

Ao início da tarde, pelas 14h30, a Vereadora da Educação do Município de Vila Verde, Júlia Fernandes, dará início à Tertúlia “Estratégias de Diferenciação Educativa”, onde decorrerão as apresentações do projecto “Competências Digitais”, do Agrupamento de Escolas de Moure e Ribeira do Neiva, do projecto “Pratico+Literacia”, do Agrupamento de Escolas de Prado e do Projecto “Pratico e aprendo no Espaço Casa”, do Agrupamento de Escolas de Vila Verde e Escola Secundária de Vila Verde. No final da sessão todos poderão visitar o “Espaço Casa” da Escola Secundária de Vila Verde.

OBJECTIVO

Com este projecto, pretende-se «adoptar uma estratégia de diferenciação educativa que impulsione a aquisição/consolidação de conhecimentos, capacidades e aptidões que potenciem a sua autonomia pessoal, a emancipação dos alunos com NEE’s no processo de aprendizagem, a inclusão escolar e os laços de reconhecimento social», pode ler-se em nota enviada pelo Município.

ACTIVIDADES

Definem-se como principais actividades desta acção, a criação do Espaço Casa (apetrechamento do espaço com condições e recursos didáctico-pedagógico adequados ao programa curricular para alunos com NEE’s), a realização de actividades curriculares em contexto prático para aquisição/desenvolvimento de competências que lhes irão ser uteis na sua autonomia pessoal, a criação de uma horta biológica para desenvolvimento das competências dos alunos identificados como beneficiários, acções de demonstração de desempenho comunitário das competências adquiridas e programa de visitas e recepção de alunos de outras escolas e agrupamentos para integração social, criação e laços emocionais e reconhecimento social do trabalho realizado pelos alunos.

Partilhe este artigo no Facebook
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

PUBLICIDADE