MOBILIDADE

MOBILIDADE -

Eurorregião Norte de Portugal e Galiza prepara manifesto para defender necessidade de alta velocidade

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

A eurorregião Galiza e Norte de Portugal está a preparar um manifesto conjunto para defender a ligação ferroviária de alta velocidade, prevista, do lado português, até 2032, revelou esta quarta-feira o presidente da Xunta da Galiza, Espanha.

“Vamos apresentar, em breve, um manifesto conjunto com a Comunidade de Trabalho do Norte de Portugal, defendendo que o Norte de Portugal e a Galiza tenham um transporte do século XXI na ferrovia”, disse Alfonso Rueda no plenário do parlamento galego.

A posição do chefe do governo galego, Alfonso Rueda, foi divulgada numa nota de imprensa do ‘site’ oficial da Xunta e confirmada pela Lusa junto de fonte da eurorregião.

De acordo com o presidente da Xunta da Galiza, o documento assinala que a Galiza e o governo português “estão totalmente alinhados na prioridade das infraestruturas”, pois, para o governo português, esta ligação é prioritária.

“Estive reunido com o ministro português de Infraestruturas e deixou clara a posição de Portugal, que beneficia a Galiza, de fazer a alta velocidade que liga à Galiza até 2032”, afirmou.

O presidente da Comissão de Coordenação Regional e Desenvolvimento (CCDR) do Norte, António Cunha, disse a 23 de maio à Lusa estar confiante e moderadamente otimista sobre a conclusão do projeto de ligação ferroviária de alta velocidade Lisboa-Porto-Vigo em 2032.

António Cunha falava após ter participado na reunião entre o ministro das Infraestruturas e Habitação, Miguel Pinto Luz, e o Presidente da Xunta de Galicia, Alfonso Rueda, que decorreu em Lisboa e de onde retirou resultados positivos, disse.

A 14 de maio, o Governo aprovou a construção do novo aeroporto da região de Lisboa no Campo de Tiro de Alcochete, decidindo também mandatar a Infraestruturas de Portugal para concluir os estudos para a construção da Terceira Travessia do Tejo e da ligação ferroviária de alta velocidade Lisboa-Madrid.

Antes, o ministro dos Negócios Estrangeiros, Paulo Rangel, já se tinha reunido com o seu homólogo espanhol, José Manuel Albares, e garantiu que houve consenso entre as duas partes em relação às ligações de comboio de alta velocidade e ao “mesmo grau de prioridade” que deve ter a linha entre Madrid e Lisboa e aquela que está prevista para unir Lisboa, Porto e Vigo, na Galiza.

A linha de alta velocidade Lisboa-Porto deverá ligar as duas principais cidades do país numa hora e 15 minutos, com paragens possíveis em Gaia, Aveiro, Coimbra e Leiria. O percurso Porto-Vigo está estimado em 50 minutos.

A primeira fase (Porto-Soure) da linha de alta velocidade em Portugal deverá estar pronta em 2030, estando previsto que a segunda fase (Soure-Carregado) se complete em 2032, com ligação a Lisboa assegurada via Linha do Norte.

A ligação do Porto a Vigo, na Galiza (Espanha), terá estações no Aeroporto Francisco Sá Carneiro, Braga, Ponte de Lima e Valença (distrito de Viana do Castelo).

No total, segundo o anterior Governo, os custos do investimento no eixo Lisboa-Valença rondam os sete a oito mil milhões de euros.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

PUBLICIDADE

Acesso exclusivo por
um preço único

Assine por apenas
3€ / mês

* Acesso a notícias premium e jornal digital por apenas 36€ / ano.