PAÍS -

PAÍS - -

Guardas florestais fazem três dias de greve

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

As florestas de Portugal não terão guardas nos dias 20, 21 e 22 de Julho, anunciou esta quarta-feira a Federação dos Trabalhadores em Funções Públicas. De acordo com a notícia avançada pela agência Lusa, a Federação  defende que a greve deve-se ao facto de António Costa não ter cumprido com a promessa realizada depois dos incêndios de 2017 – integrar 200 trabalhadores até ao final do passado mês de Abril.

“Vamos fazer uma marcação de greve para os dias 20, 21 e 22 de Julho, três dias de greve, em que, no primeiro dia de greve, os trabalhadores vão concentrar-se e manifestar-se à porta do Ministério da Administração Interna, em Lisboa, no Terreiro do Paço”, anunciou em conferência de imprensa Orlando Gonçalves, dirigente da comissão executiva da Federação dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais do Norte.

PUBLICIDADE

Orlando Gonçalves afirmou ainda que foi António Costa, enquanto ministro da Administração Interna, que “extinguiu a carreira de Guarda-Florestal” e por isso, deve “corrigi-lo” já que “tem a oportunidade”.

O dirigente pediu ao primeiro-ministro que cumpra a promessa que havia feito “o mais rápido possível” e, já que esta não foi cumprida nos ‘timings’, que o faça “mesmo com o atraso que se faz sentir”.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS