REGIÃO

REGIÃO -

Guimarães avança com a campanha de recolha de resíduos orgânicos para antecipar metas da UE

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

A Câmara de Guimarães avança, a partir do próximo dia 21 de Dezembro, com acções de sensibilização porta-a-porta para dar início à recolha de resíduos orgânicos, no Centro Histórico, alargando a 34% do território até Julho de 2022, e ter todo o concelho 100% coberto pela recolha de biorresíduos em 2028.

O objectivo da campanha RRRevolução (Reduzir, Reutilizar e Reintegrar) foi apresentado esta terça-feira em conferência de imprensa pela vereadora do Ambiente e por Carlos Ribeiro, director executivo do Laboratório da Paisagem.

A autarquia estima que nos próximos três meses seja já possível capturar cerca de 80% dos resíduos orgânicos produzidos no Centro Histórico. Nos primeiros meses de 2022, esta campanha é alargada a todas as escolas do concelho e estabelecimentos de restauração da cidade, bem como em algumas freguesias limítrofes. 

PUBLICIDADE

A campanha visa incentivar os vimaranenses a identificar, reduzir e separar o lixo produzido no dia-a-dia, através de um conjunto de acções com benefícios ambientais e também na redução da Taxa de Gestão de Resíduos. Até ao momento foi lançada uma campanha on-line para a oferta de compostores, que “está a ter uma forte adesão”

A autarquia, em parceria com o Laboratório da Paisagem e a Vitrus AMBIENTE, uma empresa municipal, entrega ainda equipamentos de pequena dimensão em todos os alojamentos de restauração e similares, com processo de recolha efectuada porta-a-porta. As nove vilas do concelho terão ainda um compostor comunitário, assim como a freguesia de Creixomil junto à feira grossista. 

ANTECIPAR UE

A vereadora do Ambiente, Sofia Ferreira, destacou o caminho desenvolvido por Guimarães “antecipando” da União Europeia (UE)

 “A preocupação na área da sustentabilidade foi colocada na agenda pelo presidente do município e continuamos a desenvolver esse caminho que já iniciou em 2013”, afirmou.”

“Este processo resulta de um investimento global na ordem dos 950 mil euros, com financiamento comunitário em mais de meio milhão de euros, e pretende-se atingir uma taxa de 100% em todo o concelho na recolha de biorresíduos em 2028 seguindo as etapas que temos definido nesta transição da economia linear para a economia circular”, salientou.

Carlos Ribeiro adiantou que “as acções de sensibilização vão-se alargar a todas as freguesias, quer através do papel determinante das Brigadas Verdes, quer através de acções de formação dirigidas a toda a comunidade, nomeadamente no que diz respeito à compostagem.” 

Através do Laboratório da Paisagem é também “reforçada a comunicação nas Escolas, através do programa Pegadas, porque se entender fulcral a educação e sensibilização das novas gerações”.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

Acesso exclusivo por
um preço único

Assine por apenas
2€ / mês
* Acesso a notícias premium e jornal digital por apenas 24€ / ano.