VILA VERDE

VILA VERDE -

Inteligência Artificial (IA) no ensino dominou I Congresso de Ciência e Tecnologia em Vila Verde

A introdução da inteligência artificial (IA), em particular, e de outras ferramentas digitais, em geral, no ensino e noutros domínios da sociedade dominou o I Congresso de Ciência e Tecnologia de Vila Verde, iniciativa que decorreu esta quarta-feira, no salão nobre dos Paços do Concelho.

«São os motores fundamentais para um desenvolvimento que concilie a proteção e valorização do ambiente com a qualidade de vida das pessoas e o crescimento económico», afirmou Graça Carvalho, referindo-se à temática do evento que discutiu a “interceção entre educação, ciência e tecnologia”.

A ministra – numa intervenção à distância através de ferramentas digitais – vincou, sempre com as pessoas no centro das prioridades, «a importância do triângulo do conhecimento, formado por ciência, inovação e educação».

Na abertura do congresso, a presidente da Câmara de Vila Verde, Júlia Rodrigues Fernandes, apontou hoje o concelho como um exemplo prático e concreto da estratégia equilibrada que a ministra do Ambiente e Energia, Maria da Graça Carvalho, traça para o desenvolvimento sustentável do planeta.

Precisamente com base nesta trilogia, a presidente da Câmara de Vila Verde sustentou a intervenção do Município «ao serviço das pessoas e na definição de políticas e ações» que «têm levado à distinção do concelho em diferentes estudos sobre diferentes aspetos dos níveis de qualidade de vida para a população local».

Perante o salão nobre dos Paços do Concelho lotado e participantes online, Júlia Rodrigues Fernandes destacou o impacto dos investimentos na transformação digital dos serviços municipais, associados às apostas estratégicas para a educação de excelência e a valorização dos recursos naturais do concelho.

«As soluções digitais têm sucesso quando colocam as pessoas em primeiro plano. Além de proporcionarem novas oportunidades aos agentes do desenvolvimento, promovem o avanço de tecnologias fiáveis, incrementam uma sociedade aberta e plural, impulsionam uma economia pujante e sustentável, concorrem para o combate às alterações climáticas e a transição ecológica», sustentou a autarca.

No I Congresso de Ciência e Tecnologia, o cientista e professor universitário Carlos Fiolhais interveio para falar sobre ‘Transição Ambiental e Transformação Digital – desafios para a Ciência, Tecnologia e Educação’, num painel que contou ainda com Pedro Marcelino, especialista em Inteligência Artificial e fundador da ‘xval.ai’, e Assunção Flores, docente e Investigadora do Instituto da Educação da Universidade do Minho.

Sob moderação de José Ismael Graça, coordenador da Casa do Conhecimento do Município de Vila Verde, o Congresso concentrou ao longo da tarde apresentações de “boas práticas pedagógicas” por parte de diferentes escolas e agrupamentos escolares, assim como da Universidade do Minho e do IPCA-Instituto Politécnico do Cávado  Ave.

Alunos dos Clubes de Ciência Viva dos agrupamentos de escolas de Prado, Vila Verde, Moure e Ribeira do Neiva, da Secundária de Vila Verde e da Escola Profissional Amar Terra Verde apresentaram projetos específicos ligados à formação e investigação.

O I Congresso de Ciência e Tecnologia foi uma iniciativa da Casa do Conhecimento do Município de Vila Verde e dos Clubes de Ciência Viva na Escola, assinalando o encerramento do programa da V Feira de Ciência & Tecnologia, que se iniciou em fevereiro e incluiu a realização de cinco palestras, uma caminhada e uma mostra de projetos, envolvendo 2300 participantes.

ovilaverdense@gmail.com

Partilhe este artigo no Facebook
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

PUBLICIDADE