CULTURA

CULTURA -

Jazz Clube do Minho quer sala para concertos e criar uma “big band”

Share on facebook
Share on twitter

Um grupo de bracarenses amantes desta forma de expressão musicial acaba de criar o JAM-Jazz Clube do Minho, cuja Direcção pretende, a curto prazo, criar uma “big band” minhota e ter a sua própria sala para concertos e ensaios. A cooperação no sector é o mote da iniciativa.

O presidente, Jorge Rocha, disse ao jornal “O Vilaverdense” que o JAM tem como principal propósito fomentar a cooperação entre os músicos minhotos, e entre estes e a sociedade regional.

PUBLICIDADE

“Queremos agregar os músicos, já que, muitos deles, sozinhos a viver em determinados locais, não conseguem integrar uma banda por falta de parceiros”, sublinhou, vincando que tal aconteceu já com dois músicos de Viana do Castelo e dois de Braga que começaram a ensaiar juntos.

O clube procura um local que possa servir de sede e de sala de concertos e já tem um em vista numa autarquia urbana da cidade, mas, mesmo que o não consiga a curto prazo, começa no final do Verão a realizar actividades em espaços que já lhe foram cedidos.

“Não faltam espaços, públicos e privados, onde se pode tocar e ouvir jazz”, acentua.

COOPERAÇÃO

Para além de um grupo vasto de melómanos, alguns deles fundadores do extinto Classic Jazz de Braga – um bar que funcionou alguns anos nos arredores do Bom Jesus – o JAM quer cooperar a com a Associação Escola de Jazz de Braga, com a qual já tem ligação o vice-presidente João Ricardo Gonçalves, ou com jovens ex-alunas da Companhia de Música do Conservatório Bonfim.

“Para além de concertos, de facilitar espaço para ensaios, gravação de discos, workshops com músicos consagrados, aulas, apresentações aos membros do clube e convidados, vamos criar uma plataforma para interface comercial dos músicos”, acentuou o líder da Direcção.

Jorge Rocha sublinha que o clube tem condições para vingar, quer porque há sócios dispostos a suportar parte das despesas e há público para as iniciativas. “Estamos já a angariar apoios”, disse.

O JAM, criado há dias num cartório notarial de Braga, tem os seguintes membros nos órgãos sociais:

Assembleia Geral
Presidente: Paulo Alexandre Silva Pereira
Secretários: José Luís da Silva Rocha e Nuno Rodrigo Pereira da Rocha Peixoto

Direcção
Presidente: Jorge Manuel da Silva Rocha
Vice-presidentes: João Ricardo Gonçalves Martins e Murilo Sérgio de Farias Félix.

Conselho Fiscal
Presidente: Suzana Costa
Relatores: Francisco Miguel da Silva Rocha e João Nuno Alves Lopes.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

Acesso exclusivo por
um preço único

Assine por apenas
2€ / mês
* Acesso a notícias premium e jornal digital por apenas 24€ / ano.