EDIÇÃO IMPRESSA –  Morreu o padre Rodrigues. Fica a marca e o legado

EDIÇÃO IMPRESSA –
Morreu o padre Rodrigues. Fica a marca e o legado

Em Dezembro passado, quando aceitou ser entrevistado, recordou as vivências de infância, os tempos de professor em Braga e o dia em que chegou a Freiriz, a «terra da fome», assumindo o «enorme desafio» de ajudar a desenvolver aquela comunidade.

Olhou para trás, deixou escapar um sorriso envergonhado e reconheceu a obra feita. «Tenho a consciência de que fiz alguma coisa boa», resumiu. Sem vaidade nem soberba.

Na manhã do dia 6 de Fevereiro, com 90 anos, o padre António Rodrigues sucumbiu a uma doença neurodegenerativa progressiva, que o afectava nos últimos tempos, o atirara para uma cadeira de rodas e lhe forçara o encerramento da vida como sacerdote.

PUBLICIDADE

Continuou ainda assim, até ao último dia, a liderar o Centro Social de Freiriz, a sua «grande marca» em termos de obra.

Notícia completa na edição impressa de Fevereiro. Nas bancas.