BRAGA

BRAGA -

Nova Central de Camionagem de Braga custará 30 milhões

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

A Câmara de Braga estima que a construção de um novo Centro Coordenador de Transportes, que inclui a demolição do atual edifício, possa vir a custar 30 milhões de euros, 29 dos quais a suportar por privados com a contrapartida de construção de apartamentos e espaços de serviços.

A este montante – que consta da proposta de delimitação da Área de Reabilitação Urbana Espaço Central, bem assim como da respetiva Operação de Reabilitação Urbana – soma-se a previsão do custo de 2,8 milhões, da intervenção a fazer na área adjacente, de 14 mil m2, ou seja, na reabilitação da rua dos Chãos e da Praça Alexandre Herculano, assim como da envolvente ao Mercado Municipal, da Avenida General Norton de Matos e da Praça da Galiza.

PUBLICIDADE

O estudo, a que O Amarense/OVilaverdense acedeu, diz que é necessário “criar uma infraestrutura capaz de oferecer um serviço que responda às exigências e necessidades atuais, pelo que a solução passa pela demolição integral e construção de novo equipamento, com a integração de novas valências, e eventualmente com novos usos de habitação/serviços”.

O que – sublinha – “permitirá uma reorganização e melhoria da mobilidade urbana. E gerará maior dinâmica a toda esta área da cidade”.

CDU É CONTRA

A hipótese de constituição de uma PPP (Parceria Público-Privada) foi avançada em dezembro pela vereadora que tutela os equipamentos municipais, Olga Pereira, tendo, dias depois, sido debatida em reunião de Câmara, já que a vereadora da CDU, Bárbara Barros, se manifestou contra.

Na ocasião, o presidente do Município disse que, se trata apenas de um estudo, que ainda não chegou à fase de projeto, mas lembrou que “o custo da obra pode vir a implicar a participação de empresas privadas”.

Já a vereadora Olga Pereira adiantou que o projeto arquitetónico só fica concluído em 2023: “pensamos que ainda será possível lançar o concurso público no último trimestre do ano, de forma a que a obra esteja concluída no final de 2024”, disse, salientando que o orçamento do projeto, e o seu financiamento, obrigam ao recurso a uma solução de parceria com um construtor privado.

CÂMARA GERE DESDE 2021

O Centro de Transportes, cuja gestão passou para a Câmara em março de 2021, necessita de obras de requalificação e ampliação, tendo em conta que o edifício começou a ser construído no início da década de 70 do século passado, com verbas do então Fundo de Transportes Terrestres constituído com o imposto de camionagem pago pelas operadoras do setor. Ficou concluído em 1974, mas só em finais de 1976 começou a funcionar, então sob gestão da empresa Rodoviária Nacional, que era pública.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

Acesso exclusivo por
um preço único

Assine por apenas
2€ / mês
* Acesso a notícias premium e jornal digital por apenas 24€ / ano.