VILA VERDE -

VILA VERDE - -

Entrevista a Aníbal Capela: «Os hospitais italianos são obrigados a escolher quem tentam salvar»

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

O futebolista Aníbal Capela, natural de Vila Verde, está em Itália, o país europeu mais afectado pela Covid-19. Em entrevista ao Desportivo, o defesa, de 28 anos, mostra a sua preocupação, conta como os italianos estão a enfrentar a pandemia e deixa alguns conselhos para que Portugal possa estar prevenido. «Aguentem firmes, sejam responsáveis e pacientes», diz.

Em Portugal há uma ideia generalizada de que Itália está numa situação caótica. É mesmo assim?
Eu diria até que em Portugal ninguém tem realmente noção da gravidade da situação em Itália. O coronavírus levou os hospitais ao colapso já há mais de 10 dias. E já há mais de 10 dias que os hospitais em Itália têm de escolher entre quem devem deixar morrer e quem devem tentar salvar. É muito triste.

Acha que Itália tomou as devidas precauções?
Na minha opinião, Itália tardou em dar uma resposta à altura deste inimigo, por dois motivos. O primeiro por falta de informações/conhecimento, o que é normal, sobre o vírus. O segundo pelo facto de o Governo não querer criar pânico aos italianos. Os dois motivos são fáceis de entender agora que olhamos para trás, mas a verdade é que qualquer outro país da Europa que teria sido apanhado de surpresa, como foi a Itália, teria cometido os mesmos erros.

PUBLICIDADE

Houve negligência das entidades?
Não digo que houve negligência, digo que houve demasiada expectativa por parte de quem toma decisões, ou seja, estivemos sempre um ou dois passos atrás do Covid-19. Mas muito preocupante é ver Espanha, França, Alemanha, Reino Unido e Portugal fazer o mesmo tendo todos eles um vizinho, a Itália, como exemplo.

“Quando vês “à porta de casa” já quase 30 mil infectados e quase 400 pessoas a morrer por dia e sabes que ainda não chegaste ao pico da pandemia, é natural que haja medo.”

Sente que os italianos estão assustados?
Obviamente que sim. Quando vês “à porta de casa” já quase 30 mil infectados e quase 400 pessoas a morrer por dia e sabes que ainda não chegaste ao pico da pandemia, é natural que haja medo.

Há gente na rua e nos respectivos trabalhos ou as cidades parecem desertas?
As ruas estão desertas, desde a declaração de quarentena nacional. E isso óptimo, é sinal que todos os italianos finalmente entenderam como lutar contra este coronavírus.

Já há falta de produtos nos supermercados?
Nunca houve falta e temos a garantia do Governo que não irá faltar nada nos supermercados.

O que é que as pessoas mais procuram nos supermercados?
É difícil para mim dizer o que a outras pessoas mais compram, porque desde que entrei em quarentena (8 dias) nunca mais fui às compras, ainda não precisei. No entanto, posso dizer qual foi a minha lista essencial nas vezes em que fui às compras: água, massa, arroz, atum, pão de forma, biscoitos, frutos secos e algumas carnes. Tentei comprar o suficiente para um mês. O facto de comprar para cerca de não mês não é por ter medo que fechem os supermercados, é para evitar ao máximo de sair de casa, porque sempre que saímos de casa estamos a colocarmo-nos em perigo de contágio.

“Acho muito pouco provável que se consiga acabar o campeonato 2019/2020”

Como estão os clubes de futebol a reagir a tudo isto?
Estão a respeitar as decisões/ordens da Liga, que em termos oficiais são: campeonato suspenso até 3 de Abril e treinos parados até dia 23 de Março.

Acredita que a época pode não terminar? Já se fala nisso?
Sim. Acredito que a Liga Italiana queira que o campeonato continue. Fala-se que um dos argumentos utilizado seja o facto de os jogadores terem os contratos até dia 30 de Junho. Faltam ainda jogar os últimos 10 jogos do campeonato. Esta quarentena nacional obrigatória poderá durar até meados de Maio. Apoiado nesses factos, pessoalmente acho muito pouco provável que se consiga acabar o campeonato 2019/2020.

O Aníbal está a cumprir algum plano? O que faz no seu dia-a-dia?
Temos um programa que foi dado pelo clube e estou, como os meus colegas, a tentar cumpri-lo da melhor forma. Mas não posso mentir. A verdade é que, fechado num apartamento, por mais que te esforces, é irreal acreditar que se consegue manter 50% da condição física ideal de um jogador de futebol profissional.

“Em Itália aconselham a usar só um par de sapatos para sair de casa e quando regressam deixam os sapatos fora da porta”

Depois do que tem assistido em Itália, que conselhos nos pode dar?
Quando saírem de casa, usem máscaras obrigatoriamente, usem luvas, usem óculos, nunca metam as mãos nos olhos, nariz e boca.

Em Itália aconselham a usar só um par de sapatos para sair de casa e quando regressam deixam os sapatos fora da porta, isto deve-se ao facto de o Covid-19 poder ficar na estrada/passeios cerca de nove dias. Por esse motivo é que se desinfectam as estradas aqui em Itália.

Em quarentena só uma pessoa da família deve ir às compras e quando voltar deve lavar toda a sua roupa com desinfectante para roupa e tomar imediatamente banho para evitar contactos com outras pessoas.

Além deste pequenos conselhos (extremamente importantes), todos em Portugal e na Europa devem entender que se avizinham tempos muito difíceis para a nossa sociedade e que todos os Governos estão a atrasar-se nas medidas de contenção do vírus.  Estão sempre um ou dois passos atrás do Covid-19.

Procurem sempre saber mais e mais sobre como se podem proteger melhor, informem-se constantemente. Só a informação/conhecimento irá salvar vida. Aguentem firmes, sejam responsáveis e pacientes.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS