CRIME

CRIME -

PJ/Braga deteve seis homens que roubaram 300 mil euros em jóias a ourivesaria da Póvoa de Lanhoso com assalto em plena estrada

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

A Polícia Judiciária de Braga deteve, hoje, seis homens, suspeitos da prática de crimes de roubo qualificado com utilização de armas de fogo, homicídio tentado e furto qualificado.

Os detidos praticaram quatro assaltos, o primeiro dos quais, a 17 de fevereiro, a um funcionário da Ourivesaria Minhota, da Póvoa de Lanhoso, de nome Cristóvão, que foi abordado, numa estrada rural em Ponte de Nasceiros, Vilela por quatro deles, encapuzados e com arma de fogo, obrigando-o a sair do carro onde seguia – arrastando-o pela janela – , vindo da feira das Caldas das Taipas. Levaram objetos em ouro no valor de 300 mil euros, dos 500 mil que levava na viatura.

Depois de terem assaltado o «ourives», e quando fugiam em dois carros da marca BMW, com matrículas falsas, foram apedrejados por trabalhadores que estavam numa obra na zona e que se aperceberam do crime. Aí, dispararam vários tiros para o ar e alguns para os trabalhadores, tendo um deles passado a milímetros de um dos visados.

PUBLICIDADE

A seguir, tentaram, ainda, incendiar um dos bmw’s, regando-o com gasolina, mas fugiram sem o fazer por terem ouvido as sirenes das viaturas da GNR que os perseguiam.

SAPATOS EM VIZELA E TELEMÓVEIS EM CELORICO

O segundo assalto foi feito em maio pelas 3h00 da madrugada numa fábrica, a Asial Indústria de Calçado, de onde levaram mil pares de sapatos, valendo 30 mil euros.

Para entrar fizeram um buraco com um metro de diâmetrro na parede das traseiras e carregaram os sapatos, fugindo, em seguida.

O terceiro assalto de que são suspeitos ocorreu a 15 de junho último, pelas 04h00, na Sociedade Naturana Portuguesa Confeções, em Nogueira do Cravo, Oliveira de Azeméis, onde penetraram após terem rebentado a porta. Lá dentro, pensaram que as forças policiais estariam a chegar, pelo que se assustaram fugindo sem nada furtar.

A 20 de maio assaltaram, ainda, um armazém da Euronics, na zona industrial de Crespos, em Celorico de Basto, – pertencente à sociedade Dário A. Almeida – tendo feito um buraco na parede. De lá de dentro furtaram 16 telemóveis que valem 2.945 euros.

A detenção dos seis homens foi feita em cumprimento de mandados de detenção emitidos pelo Ministério Público – DIAP de Guimarães, em localidades do Grande Porto (Valongo) e em Guimarães,

Os detidos são: José Eduardo Cabeças, Miguel Jacinto da Silva, José Bernardo Monteiro, Lídio Prudêncio Barrela, Flávio Ricardo Cabeças, Carlos Manuel Lucas e Jair Cardoso Oliveira.

Igualmente foram cumpridos vários mandados de busca domiciliária e não domiciliária, sendo apreendidas armas de fogo, munições, objetos de ouro, dinheiro, além de equipamento para comunicações.

Os crimes de roubo qualificado e homicídio tentado ocorreram no pretérito dia 17 de fevereiro, numa freguesia do concelho da Povoa de Lanhoso, sendo vítimas um ourives, abordado com violência na via pública, quando conduzia a sua viatura automóvel, onde transportava várias peças e objetos em ouro, no valor estimado de cerca de 500 mil euros e um transeunte, que assistiu ao roubo, tendo os autores efetuado disparos com arma de fogo na sua direção, só não o atingindo por mera casualidade.

Os detidos vão ser presentes às autoridades judiciárias competentes no Tribunal de Guimarães, para primeiro interrogatório judicial e eventual aplicação de medidas de coação.

O Vilaverdense/PressMinho contactou, a propósito, um dos advogados de defesa, João Ferreira Araújo, que nada quis adiantar por causa do segredo de justiça. Disse apenas que o seu constituinte não está indiciado por tentativa de homicídio.

A PJ divulga, pelas 18h30, em conferência de imprensa, mais detalhes sobre as detenções.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS