BRAGA –  Plataforma Rede 8 de Março protesta quinta-feira em Braga contra violência

BRAGA –
Plataforma Rede 8 de Março protesta quinta-feira em Braga contra violência

A Rede 8 de Março, um colectivo de organizações feministas, organiza na próxima quinta-feira, Dia dos Namorados, vários “protestos ruidosos”, em cinco cidades do país, contra o silenciamento da violência doméstica, pelas vítimas, mas também contra a violência no namoro.

Em comunicado, a rede 8 de Março anuncia que estão marcadas acções de protesto em Braga, Porto, Coimbra, Aveiro e Lisboa, sendo que no Porto haverá uma acção de sensibilização e de visibilização sobre violência doméstica, “por todas as mulheres que tombaram, por todas as que sobreviveram, por todas as que vivem este inferno”.

PUBLICIDADE

O colectivo de organizações feministas lembra que quinta-feira é o Dia dos Namorados e aponta que há estudos sobre violência no namoro que demonstram que “uma parte significativa dos e das jovens não reconhece situações tipificadas como violência”, alertando que “a violência se encontra ainda perfeitamente naturalizada e legitimada”.

Defendem que “nenhum país decente pode encolher os ombros perante uma tragédia que a cada dia soma mais vítimas” ou “pode considerar normal que 85% das queixas sejam arquivadas”.

Apontam que, como parte do país, não se podem calar e que, por isso, levantam a voz para lembrar as vítimas, mas também as sobreviventes e para chamar a atenção e denunciar a naturalização e a legitimação da violência.

“Levantamos a voz para dizermos que não aceitamos nem Ministério Público e Polícia laxistas, nem Tribunais machistas. Levantamo-nos para exigir medidas de combate à violência”, adiantam, acrescentando que “é urgente” uma aposta séria na formação e uma fiscalização à forma como a lei de prevenção e combate à violência doméstica é aplicada.

A Plataforma rede 8 de Março existe desde 2011 e integra mais de 30 associações e sindicatos que têm como objectivo organizar uma greve feminista nacional no Dia Internacional da Mulher, que se assinala no dia 8 de Março, com manifestações por todo o país, à semelhança do que aconteceu no ano passado em Espanha.