REGIÃO

REGIÃO -

Politécnico de Viana do Castelo tem 400 camas disponíveis durante o Verão

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Este Verão, o Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC) volta a promover o programa Summer Residence IPVC nas residências académicas, disponibilizando 400 camas em Viana do Castelo e em Ponte de Lima. 

Apesar dos condicionalismos impostos pela pandemia, o programa Summer Residence IPVC, direccionado para o público jovem, essencialmente para os estudantes do ensino superior. continua a abrir as portas das residências académicas do Politécnico de Viana do Castelo durante o período de Verão. 

“Proporcionamos alojamento a preços acessíveis, condições mais favoráveis e com segurança para a população jovem, essencialmente estudantes do ensino superior, que vem em grupo e com a bandeira”, explicou o administrador dos Serviços de Acção Social (SAS) do IPVC, Luís Ceia, adiantando que existem 300 camas disponíveis em Viana do Castelo e mais 100 camas em Ponte de Lima.

PUBLICIDADE

Este programa está muito vocacionado para o alojamento em grupo.

“Disponibilizamos o alojamento para grupos que estejam integrados em associações sem fins lucrativos e também para apoiar eventos apoiados, por exemplo, pelos municípios e que não haja capacidade de resposta”, esclareceu Luís Ceia, referindo que “existe um regulamento interno aprovado e com tabela de preços já definidos para o efeito”.

“Muita gente não sabe que existe este tipo de alojamento e que se enquadra no espírito de muitas instituições, como é o caso dos escuteiros”, exemplificou o administrador. O objectivo é, continuou o administrador do Serviços de Acção Social do Politécnico de Viana do Castelo, apoiar um público muito específico, que geralmente vem em grupos sem fins lucrativos ou que tem efeitos benéficos para a comunidade.

Entretanto, durante o mês de Agosto, o IPVC tinha um acordo com a organização do NeoPop Festival de Viana do Castelo, em que a residência do Centro Académico ficava praticamente ocupada. Este ano, o festival voltou a ser cancelado e, informou Luís Ceia, não se reeditou o protocolo.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS