NACIONAL -

NACIONAL - -

Portugueses campeões a falar ao telemóvel enquanto conduzem

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Com recurso às respostas de mais de oito mil inquiridos em seis países, o estudo revela que os portugueses são os condutores que mais recorrem ao telemóvel enquanto estão ao volante.

O Código da Estrada decreta que falar ao telemóvel enquanto se conduz constitui uma contra-ordenação grave, e coimas entre os 120 e os 600 euros. No entanto, estes valores e a previsão de subida para entre os 250 e 1.250 euros, parecem não assustar os condutores que circulam nas estradas portuguesas.

O estudo, divulgado esta quarta-feira pelo Jornal Económico, denominado ‘Global Driving Safety Survey’ foi realizado pela Liberty Mutual, de forma a avaliar o comportamento e as atitudes dos condutores em Portugal, Espanha, França, Irlanda, Reino Unido e Estados Unidos. Este estudo, além da segurança na estrada prende-se pela utilização dos telemóveis durante a condução.

PUBLICIDADE

Com recurso às respostas de mais de cinco mil cidadãos e europeus e de mais de três mil norte-americanos, o estudo revela que os portugueses estão entre os condutores que mais recorrem ao telemóvel enquanto estão ao volante, com 74% de prevalência. Os irlandeses e os norte-americanos encontram-se em segundo lugar, com 67%, seguindo-lhes os franceses, com 58%, os espanhóis com 55% e os britânicos com 47%.

O estudo vai ainda mais longe e garante que a maioria dos utilizadores que recorre ao telemóvel enquanto conduz pertence à geração dos ‘millennials’, que nasceu entre os anos 80 e o início da década de 2000, com 83%. De perto segue-lhe a geração X, entre os anos 60 e o início dos anos 80, com 76% das respostas, e os ‘baby boomers’ com 62%.

“A geração millennial já cresceu com estes aparelhos e a principal razão para usarem o telemóvel enquanto conduzem é porque têm medo de perder alguma informação importante, ou de só terem acesso à mesma tarde demais”, revela Mike Sample, consultor técnico da Liberty Mutual.

Relativamente às formas de utilização do telemóvel durante a condução, 69% dos portugueses inquiridos admite olhar para mensagens e chamadas que estão a receber, enquanto 52% olham para as notificações, 26% admitem ler emails e mensagens. Cerca de 25% dos portugueses questionados admite enviar mensagens de áudio durante a condução, enquanto 20% utiliza aplicações dos smartphones

No inquérito realizado, apenas 13% dos portugueses admite ter o telemóvel fora do alcance enquanto está a conduzir, sendo este o número mais reduzido do inquérito que envolve condutores portugueses.

Na duração de chamadas, 37,4% dos portugueses sustenta que segura o telemóvel na mão enquanto conduz, sendo que 65,7% realiza as chamadas com o sistema de mãos livres. Ainda assim, estes valores são superiores à média europeia.

“Estes dados sugerem que a dependência do telemóvel e a necessidade de se manterem comunicáveis, quer por questões pessoais ou profissionais, se sobrepõe à consciência de que ao utilizar o telemóvel durante a condução estão a aumentar o risco de se envolverem num acidente rodoviário”, acrescenta José Miguel Trigoso, presidente da Prevenção Rodoviária Portuguesa, citado pelo Jornal Económico.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS