VILA VERDE

VILA VERDE -

Prisão preventiva para GNR de Vila Verde acusado de difamar e perseguir magistrados

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

O Tribunal de Braga colocou em prisão preventiva o militar da GNR, natural de Vila Verde, que foi detido e está indiciado por 66 crimes de difamação, injúria e perseguição, todos na forma agravada, contra uma juíza de Vila Verde e dois procuradores do Ministério Público.

O advogado de defesa, João Araújo Silva, discorda da decisão e anunciou que vai recorrer para o Tribunal da Relação.

PUBLICIDADE

Carlos Lima, de 36 anos, foi condenado duas vezes no Tribunal Judicial de Vila Verde por causa de uma querela com uma família: o pai terá emprestado 100 mil euros a uma pessoa e esta não os devolveu, o que terá motivado a intervenção do militar, supostamente em modos agressivos. O caso foi para Tribunal, que o condenou.

Depois disso, e por ter achado que as condenações eram injustas, começou a “atacar” os três magistrados na rede social – com palavras fortes e supostamente ofensivas – e passou a ir com frequência ao Tribunal Judicial de Vila Verde, para assistir a julgamentos presididos pela juíza e com a presença de um dos procuradores.

Tê-los-á, depois, abordado na rua, e à entrada do Tribunal e mesmo no restaurante que frequentam, pedindo esclarecimentos sobre as sentenças.

É suspeito de ter cometido 43 crimes contra a juíza, 13 contra um magistrado e 10 contra o outro. Três são de perseguição.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS