REGIÃO

REGIÃO -

Proibição de jogar imposta às equipas de formação do Moreirense é «um escândalo»

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Um cidadão de Maximnos, Braga, António Esteves Ferreira, avô de um jovem bracarense da formação do Moreirense Futebol Clube, de Moreira de Cónegos, Guimarães, considera “escandalosa” a decisão da Federação Portuguesa de Futebol de impedir as equipas sub-19, sub-17 e sub-15 do clube de participar nas provas da FPF na época que agora começa.

“Coisas do futebol português… É um arrombo fortíssimo na formação do Moreirense, que tal como todas as outras já tinha estado imenso tempo sem competir devido à pandemia”, anota o cidadão, salientando que se sente “indignado” com a atitude.

E pergunta: “Que fizeram estes jovens para serem castigados?

PUBLICIDADE

Nada! Corromperam alguém? Não.”

E prosseguindo lamenta a decisão da FPF: “A verdade, a única verdade, é que depois de quase três anos sem competir por causa da pandemia estes miúdos vêm agora frustradas as suas expectativas por causa de um organismo que devia ser competente e não transformar-se em verdadeiro carrasco destes miúdos que nada fizeram para serem punidos”.

E concluindo: “Deixo um apelo as todos os órgãos de comunicação para que denunciem este ato ridículo e retirada a punição aos miúdos da formação, deixam que estas crianças vivam felizes e pratiquem aquilo que mais gostam que é jogar futebol”.

Ontem soube-se que as equipas sub-19, sub-17 e sub-15 do Moreirense estão impedidas de participar nesta temporada nas provas da FPF. O clube já foi notificado e os seus adversários nas provas dos campeonatos nacionais vão descansar nas jornadas em que tinham jogos agendados com o clube.

Em causa está o facto de, em 2018, terem sido provados quatro crimes de corrupção ativa relativos à época 2011/12 por suborno e tentativas de suborno a jogadores do Santa Clara e da Naval.

O Moreirense recorreu, então da decisão, e perdeu, sendo assim executada na presente época.

O castigo devia incidir sobre o Moreirense, enquanto clube, mas, entretanto, foi criada uma SAD (Sociedade Anónima Desportiva, pelo que a sanção não pode ser executada sobre a equipa principal. Sobra, assim, uma penalização de efeito moralmente duvidoso a incidir sobre a juventude que joga futebol no clube.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

Acesso exclusivo por
um preço único

Assine por apenas
2€ / mês
* Acesso a notícias premium e jornal digital por apenas 24€ / ano.