VILA VERDE

VILA VERDE -

PSD de Vila Verde promoveu debate “Agricultura e o Mundo Rural” esta sexta-feira

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Decorreu esta sexta-feira, 5 de Março, em formato digital, a conferência “Agricultura e o Mundo Rural”, a primeira sessão integrada no ciclo “Vila Verde 2030”, promovido pelo PSD de Vila Verde.

A conferência contou com a moderação da Vereadora Júlia Fernandes que sublinha, em nota enviada, «o reconhecimento de que não é possível assegurar o desenvolvimento rural sem uma aposta estratégica séria na agricultura». Nesse sentido, destaca ainda  o «impacto de propostas para o lançamento de um mercado de produtos locais e a criação de gabinetes de apoio técnico a novos investidores e novas produções».

A conferência foi transmitida via zoom pelo facebook e contou com uma audiência média superior a 120 pessoas. 

PUBLICIDADE

O ex-ministro da agricultura, Arlindo Cunha, abriu a porta quanto «à expectativa dos fundos europeus do próximo quadro comunitário reforçarem os apoios aos produtores mais pequenos e de minifúndios». Uma notícia bem acolhida pelos presidentes da ATAHCA, José Mota Alves, e da cooperativa agrícola CAVIVER, José Manuel Pereira.

Em defesa do desenvolvimento rural em territórios de baixa densidade como Vila Verde, Mota Alves destacou «algumas novas culturas com maior pujança no Concelho, como os pequenos frutos», mas apontou a «necessidade de se ganhar escala em produções ainda em desenvolvimento, como os citrinos».

O líder da ATAHCA defendeu também a «criação de mercados de produtos locais para ajudar à rentabilidade das produções», assim como o «investimento na modernização das comunicações, designadamente a fibra ótica, pela sua importância para a fixação dos jovens e para a agricultura de precisão».

CARNE DE ELEVADA QUALIDADE

Na contextualização das potencialidades do concelho, Mota Alves destacou ainda os «elevados padrões de qualidade ao nível da criação animal, destacando as raças bovinas barrosã e minhota». Uma situação que o presidente da cooperativa agrícola CAVIVER, José Manuel Pereira, identificou e comprovou, mas que acarreta custos mais elevados num concelho com a extensão e a diversidade de produções como Vila Verde.

«Temos carne e produção de qualidade elevada. Estamos a investir na produção controlada e na sanidade animal. É importante. Mas sai caro, sobretudo no nosso Concelho de minifúndio, extenso e com muita dispersão de explorações. Por causa da sanidade, estamos em grande dificuldade nos preços. Há Concelhos onde é possível praticar preços mais baixos. Mas as pequenas explorações são importantes e vamos continuar», garantiu José Manuel Pereira, também produtor e empresário no setor das carnes.

O responsável da cooperativa vilaverdense reclamou igualmente o «reforço de programas de apoio e incentivo para assegurar o acompanhamento e a sobrevivência das explorações». 

AJUDA TÉCNICA

Mota Alves aproveitou para reforçar o desafio «a quem tem terras ou pense investir na agricultura para, antes de avançar com os projectos, procurar ajuda técnica e avaliar a melhor rentabilidade», apontando ainda o «enoturismo» como uma «aposta para promover o desenvolvimento rural, associando a agricultura à gastronomia e produtos locais, como os Lenços dos Namorados».

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS