LEGISLATIVAS

LEGISLATIVAS -

PSD diz que “bloqueio” do Governo provocou “situação caótica” nas estradas do distrito de Braga

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

André Coelho Lima (PSD) acusou o Governo socialista de “incompreensivelmente” ter votado “ao abandono” o distrito de Braga e de “continuar a repetir sucessivamente promessas não cumpridas”, nomeadamente nas ligações rodoviárias e ferroviárias.

Liderada pelo cabeça-de-lista, a comitiva do PSD realizou, este sábado, um périplo de reuniões com os diversos representantes das populações. Esteve à tarde em Vila Verde e já à noite em Celorico de Basto, depois de ter estado já nos concelhos de Braga, Vila Nova de Famalicão e Barcelos.

PUBLICIDADE

No encontro, Coelho Lima disse que  “o governo PS bloqueou”.

“Cansou-se e esgotou-se. Incompreensivelmente, votou ao abandono este distrito. Numa altura em que devíamos estar a investir fortemente na acessibilidade digital, para garantir melhores condições de competitividade no contexto europeu e global, o país sofre ainda de fortes carências de infra-estruturas básicas, tanto a nível rodoviário como ferroviário, onde este governo socialista continua a repetir sucessivamente promessas não cumpridas”, lamentou o também vice-presidente do PSD.

Os autarcas presentes denunciaram que “inúmeras” as estradas “absolutamente indignas, sem condições mínimas para circulação de automóveis ligeiros, quanto mais para o trânsito de pesados”, com “um impacto brutal” nos moradores e populações locais”.

Entre os exemplos apontados estão as requalificações de estradas nacionais e novos acessos, a duplicação de vias na EN14, o “muito reclamado” nó em Lama/Oliveira, em Barcelos, a par de ligações em Celorico de Basto, as variantes aos parques industriais de Oleiros e Gême no concelho de Vila Verde, além de outras ligações secundárias,

No encontro, que contou igualmente com a participação de candidatos às eleições de 30 de Janeiro, André Coelho Lima reafirmou o compromisso do PSD em executar, “com maior celeridade”, o Programa Nacional de Investimentos 20-30 (PNI), “aproveitando os reforçados fundos europeus”.

André Coelho Lima disse que a aposta de Rio “é dar prioridade ao crescimento económico, como meio para reforçar o orçamento nacional. As novas receitas serão, uma parte, para reduzir a carga fiscal e, outra parte, para garantir investimento público”.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

Acesso exclusivo por
um preço único

Assine por apenas
2€ / mês
* Acesso a notícias premium e jornal digital por apenas 24€ / ano.