BRAGA - Sete guardas da GNR do Sameiro de “baixa” doentes com actuação do comandante

BRAGA -
Sete guardas da GNR do Sameiro de “baixa” doentes com actuação do comandante

Sete dos 14 guardas do posto do Sameiro da GNR de Braga, que se queixaram, em Julho,  ao Comando Distrital e Nacional, da actuação do Comandante, o sargento Hélder David Antunes, meteram baixa psiquiátrica, por não conseguirem trabalhar sobre as suas ordens.

João Magalhães, advogado e defensor da maioria dos guardas, afirmou que os militares “continuam a contestar a actuação do graduado, já que este insiste em lhes exigir que multem automobilistas, sob pena de sanções disciplinares”.

PUBLICIDADE

O jurista sublinha que, nalguns casos, o comandante exigiu que fossem vistos por um médico do Hospital Militar do Porto, o que sucedeu, com a confirmação da baixa médica.

“Não se compreende que, depois da queixa dos 14 guardas contra o responsável do posto do Sameiro e com as inquirições a decorrer, ele continue no comando a fazer as mesmas coisas”, lamentou o jurista, frisando que, “se fosse um simples militar a ser alvo de processo disciplinar, ele era logo suspenso de funções”.

Na queixa, os guardas diziam-se “desmotivados e apavorados” com “a coação, e as ameaças” do Comandante.

Afirmam que, quem não cumprir a meta de contra-ordenações que o sargento impõe, é punido com mudança de horários nos turnos, proibido de trocar serviço com um colega e ameaçado de procedimento disciplinar.

O advogado diz que a acção do Comandante “é atentória da dignidade dos militares e viola o Regulamento de Disciplina Militar”. E promete  avançar com uma queixa-crime, após o caso ser resolvido pelo Comando.

O Vilaverdense/PressMinho contactou o posto do Sameiro mas não conseguiu falar com o sargento.