BRAGA -

BRAGA - -

Sobrevivente de campo de concentração nazi conta história da sua vida no Museu D. Diogo de Sousa

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Testemunhos da 2ª Guerra Mundial são o mote para duas conferências, que têm lugar nos próximos dias 19 e 20, no Museu D. Diogo de Sousa, em Braga, subordinadas ao tema ‘Testemunhos da 2ª Guerra Mundial, de Aristides Sousa Mendes a Gerd Klestat, sobrevivente de Campo de Concentração’.

No dia 19, às 18 horas, a conferência tem como tema Aristides Sousa Mendes, com a presença de Luísa Pacheco Marques, arquitecta do museu ‘Vilar Formoso – Fronteira da Paz’, um memorial aos refugiados da II Guerra Mundial e ao cônsul Aristides Sousa Mendes.

No dia 20, também às 18 horas, a iniciativa debruça-se sobre os campos de concentração nazis, com Gerd Klestat, um dos últimos sobreviventes vivos dos campos de concentração nazis que vem a Braga contar a sua história de vida.

PUBLICIDADE

Em 1936, então com apenas três anos, Gerd Klestat e a sua família judia, fugiu da Alemanha nazi, indo viver para a vizinha Holanda. Após a invasão da Holanda em Maio de 1940, a sua família instalou-se numa pequena vila a leste de Amesterdão.

Até à prisão da sua família, em 1943, viveram numa pequena casa a salvo dos nazis. Primeiro, a sua família foi deportada para o campo de concentração de Westerbork, na Holanda, tendo posteriormente enviada para o campo de Bergen-Belsen, no norte da Alemanha. Aqui viu o pai morrer em Fevereiro de 1945, tendo sido libertado, juntamente com a sua mãe e irmão pelos exércitos aliados em Abril do mesmo ano.

As autoridades alemãs estabeleceram o campo de detenção Bergen-Belsen em 1940, tendo funcionado até 1943 exclusivamente para prisioneiros de guerra. A partir desse ano, as SS tomaram conta do campo e converteram-no numa prisão civil e mais tarde num campo de concentração. Estima-se que tenham morrido cerca de 50 mil pessoas neste campo de concentração. A maior parte das vítimas foram judeus, entre elas, Anne Frank e a sua irmã Margot, que morreram em Março de 1945.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS