OPINIÃO –  Todos somos poucos na Prevenção. Junte-se a nós em abril!

OPINIÃO –
Todos somos poucos na Prevenção. Junte-se a nós em abril!

Por Beatriz Santos, Presidente da CPCJ de Vila Verde

A Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Vila Verde (CPCJ), em parceria com o Município de Vila Verde, vai aderir, mais um ano, à campanha “Mês da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância”, através da “Campanha Laço Azul”, com o objetivo de fomentar o envolvimento comunitário na prevenção, deteção e sinalização de maus tratos a crianças e jovens.

A Campanha do Laço Azul iniciou-se em 1989, na Virgínia, E.U.A., quando uma avó, Bonnie W. Finney, amarrou uma fita azul à antena do seu carro “para fazer com que as pessoas se questionassem”.

PUBLICIDADE

A história que Bonnie Finney contou aos elementos da comunidade que se revelaram “curiosos” foi trágica e sobre os maus-tratos à sua neta, os quais já tinham morto o seu neto de forma brutal. E porquê azul? Porque apesar do azul ser uma cor bonita, Bonnie Finney não queria esquecer os corpos batidos e cheios de nódoas negras dos seus dois netos. O azul, que simboliza a cor das lesões, servir-lhe-ia como um lembrete constante para a sua luta na proteção das crianças contra os maus-tratos.

Esta campanha, que começou como uma homenagem desta avó aos netos, expandiu-se e, atualmente, muitos países usam as fitas azuis, durante o mês de abril, em memória daqueles que morreram como resultado de abuso infantil. Esta história demonstra-nos como o efeito da preocupação de um único cidadão pode ter no despertar das consciências do público, em geral.

A CPCJ, partindo do princípio de que crianças e os jovens são cidadãos e cidadãs com alto potencial de participação e transformação das sociedades, tem vindo a reforçar o envolvimento destes grupos etários na busca por um mundo menos violento em que eles próprios se percebam como agentes de transformação, tanto dentro quanto fora da escola. Assim, as escolas do Concelho foram desafiadas a promover atividades com contributos diversos sobre esta matéria.

Mas, sendo a proteção das crianças responsabilidade de toda a sociedade, a CPCJ incitou ainda a Rede Social, as IPSS´s, as Juntas de Freguesia, Unidades de Saúde, entre outras entidades, a promover atividades de sensibilização e de alerta para a responsabilidade social na proteção de crianças. Hoje estamos a desafia-lo(a) a si. Conte-nos o que pretende fazer e terá o nosso apoio.

No final do mês, para encerramento, a 30 de abril, pelas 16:15h, num ato simbólico, a CPCJ, o Município e a EPATV mostrarão a sua indignação face a todo o tipo de maus-tratos infligidos a crianças, construindo um laço azul humano em frente ao Município.