VILA VERDE

VILA VERDE -

Última Assembleia Municipal do presente mandato marcada pelas despedidas

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

A Assembleia Municipal de Vila Verde reuniu, esta quinta-feira, pela última vez neste mandato, ficando a sessão marcada por várias intervenções em jeito de despedida. Cada um a seu jeito, deixando críticas ou agradecimentos, foram diversos os intervenientes que ao longo da sessão ordinária do órgão deliberativo usaram da palavra.

Ainda no período de antes da ordem do dia, Cláudia Pereira (CDS-PP), Joaquim Ribeiro (PS), Samuel Estrada (PS), Pedro Gonçalves (PS), Susana Silva (PSD) e Carlos Correia (PSD) usaram da palavra para deixar uma mensagem ao auditório. Abordando a mesma temática e já mais tarde na sessão – no período que lhes está destinado a usar da palavra – falaram igualmente os presidentes de Junta da Loureira, Pedro Dias, de Dossãos, Jorge Oliveira, e da UF de Escariz S. Martinho e S. Mamede, Adelino Machado.

Contudo, ainda antes do término dos trabalhos, António Vilela, que agora «encerra um ciclo» à frente dos destinos do Concelho, subiu também ele ao púlpito onde fez um balanço dos últimos anos em que foi presidente da autarquia, notando algumas considerações e deixando uma mensagem.

PUBLICIDADE

«CONSCIÊNCIA TRANQUILA E SENTIMENTO DE DEVER CUMPRIDO»

«Esta é a última assembleia em que participo, é um fim de ciclo. Foi para mim um gosto trabalhar com todos neste projecto que muito contribuiu para o crescimento e desenvolvimento da nossa terra. Elevado sentido de responsabilidade, dedicação, energia, sentido publico e espírito de sacrifício foram sempre premissas fundamentais para aquilo que conquistámos por Vila Verde, que foi muito», destacou António Vilela, acrescentando que está de «consciência tranquila e com sentimento de dever cumprido. Enfrentamos temos muito difíceis e exigentes mas nunca baixámos os braços. Somos daqueles que sabem que o sucesso só se alcança com determinação e trabalho e nunca em qualquer momento virámos as costas».

Depois de abordar parte do percurso enquanto autarca e as muitas apostas em que a sua governação assentou, António Vilela sublinhou que «todo o trabalho desenvolvido» foi conseguido em «colectivo».

«Quero deixar o meu agradecimento e reconhecimento a todos quantos deram esse contributo, que foi muito. Com pessoas atentas, empreendedoras e trabalhadoras, que com a sua dedicação, empenho de sacrifício e sabedoria deram sempre o melhor pelo concelho e pelas pessoas. Em equipa construímos um concelho muito melhor», disse.

VOTOS DE PESAR

A Assembleia Municipal de Vila Verde contou ainda com a apresentação de dois votos de pesar. O primeiro, dado a conhecer por Joaquim Ribeiro, do PS – voto esse subscrito também pelas bancadas de PSD e CDS e aprovado por unanimidade – serviu para eternizar Jorge Sampaio, antigo presidente da República que faleceu no decorrer da última semana. No segundo caso, foi a vez de cumprir um minuto de silêncio – num voto igualmente aprovado de forma unânime – por António Veloso Pinto, ex-presidente de Junta da Loureira. O segundo voto de pesar foi apresentado pela deputada social-democrata Susana Silva.

Mais desenvolvimentos na edição impressa de Outubro de 2021.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS